Santo André ainda sonha e vai tentar melhorar pontaria

No ABC, todos acreditam que melhor proveito nas finalizações poderia ter mudado a história do 1º confronto com o Santos

Ana Paula Garrido, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2010 | 00h00

A virada santista no domingo, por 3 a 2, não abalou a confiança do Santo André em conquistar o Campeonato Paulista. O discurso de que ainda é possível continua firme na equipe. O desafio, porém, aumentou. O time precisa vencer por dois gols de diferença a segunda partida, o que torna a missão ainda mais complicada ?apesar de já terem realizado tal feito oito vezes no campeonato, o Santos ainda não perdeu por tamanha diferença na temporada. No entanto, não há mudanças em vista, segundo o supervisor de futebol, Juraci Catarino. "A intenção é iniciar o jogo da mesma forma que ontem (domingo). Mas manter o nível a partida inteira", alertou.

O grande erro da equipe , entende o pessoal do time do ABC, foi ter diminuído o ritmo no começo da etapa final, dando chances ao Santos de fazer três gols e matar o jogo. "Sofremos uma forte pressão no segundo tempo, e com o Santos não dá para brincar. Os 15 minutos (da segunda etapa) foram determinantes", comentou o vice-presidente Romualdo Magro.

Um dos quesitos a ser trabalhado pelo elenco será a finalização, que fez falta no primeiro jogo da decisão ?o time perdeu ao menos duas chances claras de gol. "Numa final, não pode perder tanta oportunidade, o que você deixa de fazer, o time grande vai lá e faz", disse Romualdo.

Para isso, o técnico Sérgio Soares precisará trabalhar a ansiedade do grupo, apesar da situação adversa. "Não podemos querer fazer os gols em 5 minutos. A partida tem 90 minutos. Temos que ter calma", avisou Juraci.

Apesar da necessidade de fazer gols, o dirigente não acredita ser preciso mudar o esquema com dois atacantes adotado pelo treinador. "A questão não é um time com três atacantes, mas sim uma equipe bem armada", explicou o vice-presidente.

Sobre possível desmanche no elenco após o Paulista, Juraci afirmou que não há nada definido. "É só especulação, estamos com a cabeça voltada para final."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.