Santo André lamenta: a vitória esteve perto

Técnico Sérgio Soares diz que seu time foi melhor, mas que não podia ter desperdiçado[br]as chances criadas

, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2010 | 00h00

O Santo André saiu do Pacaembu com a certeza de que desperdiçou uma grande chance de surpreender o badalado time santista. A boa atuação, especialmente na primeira etapa, poderia ter garantido uma situação confortável para o segundo jogo. Mas a derrota de virada por 3 a 2 agora obriga a equipe do ABC a vencer por dois gols de diferença no próximo domingo, novamente no Pacaembu.

"Trabalhamos numa condição muito superior e poderíamos ter saído com um placar mais elevado no intervalo", lamentou o técnico Sérgio Soares. "No segundo tempo, o Santos veio para cima, o que era natural, mas fez gols em cochilos nossos", contou.

Para o treinador, o time do ABC dominou o jogo, mas não soube aproveitar as boas oportunidades criadas. "Fizemos uma grande partida, mas titubeamos diante de uma equipe de muita qualidade. Precisamos ser mais eficientes no jogo de volta para buscar o resultado."

O treinador admite que o Santo André precisa de uma apresentação ainda mais inspirada para tentar reverter o quadro, mas manteve as esperanças. Ele acredita que o gol de Rodriguinho, no fim, dá motivos para o time acreditar em uma virada.

"O gol no final da partida, quando a gente tinha um a menos, nos deixou vivos na competição", afirmou o técnico.

Sérgio Soares evitou creditar à arbitragem o resultado negativo, mas disse que Paulo César Oliveira falhou em um lance. "Só vou reclamar da ausência de um cartão amarelo para o Neymar no lance em que pediu pênalti. Ele deu cartão por reclamação para o nosso jogador, que depois seria expulso em um lance que realmente mereceu o amarelo. Mas é só isso", disse o treinador.

Reclamações. Enquanto Sérgio Soares se queixou de apenas um lance, os jogadores do Santo André deixaram o gramado do Pacaembu indignados com a arbitragem da decisão.

Um dos mais irritados era o atacante Nunes, que viu poucos cartões para os jogadores santistas e muitas faltas marcadas contra o Santo André.

O árbitro, segundo ele, ainda teve comportamento pouco adequado. "Ele ofendeu meus companheiros o jogo todo e, quando alguém é ofendido, se sente magoado", disse ele, lembrando o cartão amarelo para Toninho.

Na saída para o vestiário, atletas do Santo André ironizaram e chegaram a sugerir que o juiz deveria ganhar uma "medalha" em caso de título do Santos. / B.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.