Santo André põe fim à festa em Prudente

Equipe do ABC vence o Grêmio Prudente, de virada, por 2 a 1, e pode até perder no jogo de [br]volta para chegar à final

Marco Beraldo, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2010 | 00h00

No confronto entre as duas melhores equipes do interior, deu Santo André. O time do ABC venceu, de virada, por 2 a 1, ontem à noite no Prudentão, e poderá até perder por um gol na segunda partida, em seu campo, para chegar à final do campeonato.

O clima de euforia na cidade contagiou o Grêmio Prudente, que no primeiro tempo teve muita determinação para sair na frente com o gol de cabeça do lateral Diego. Em um confronto tão equilibrado ? com campanha quase idêntica, o Santo André só tinha até então melhor saldo de gols ?, ninguém conseguiu impor seu ritmo nos minutos iniciais. Os dois times procuraram o ataque mas o nervosismo acabou atrapalhando a finalização. Alguns lances confusos foram vistos nas duas áreas, mas ambos os goleiros, Júlio César e Márcio, demonstravam estar atentos e nada permitiam aos atacantes, que também sofriam com as condições irregulares do gramado.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Grêmio Prudente, empurrado por sua entusiasmada torcida, foi todo à frente e acabou sendo premiado, com uma jogada ensaiada, iniciada na falta cobrada por Marcos Assunção e concluída por Diego, aos 41 minutos. "O importante agora é chegar ao nosso objetivo", disse o lateral Diego. "Vamos tentar fazer o segundo. Se não der, vamos tentar fazer uma partida boa e não tomarmos gols". No Santo André, o meia Bruno César lamentava a falta de atenção no lance do gol. "Agora precisamos corrigir as falhas para virarmos o jogo", dizia no intervalo.

E não é que o técnico Sérgio Soares conseguiu mesmo passar a borracha nos erros do seu time no vestiário? O Santo André voltou mais "ligado" na segunda etapa. E não só empatou o jogo como virou o placar nos minutos iniciais. Os gols de Branquinho, depois de um contra-ataque, e do vice-artilheiro Rodriguinho, aproveitando um rebote do goleiro, mudaram o panorama da partida. O time prudentino sentiu os gols e caiu muito de produção apesar de a torcida local, que estava há mais de 40 anos sem ver um representante em local de destaque no futebol, tentar incentivar o time.

O técnico Toninho Cecílio, do Grêmio, fez logo as três substituições a que tinha direito para tentar o tudo ou nada. Mais na base da correria e do entusiasmo, o time de Prudente foi todo para o ataque, enquanto o Santo André só procurava neutralizar a iniciativa ofensiva do adversário.

Faltando dez minutos, o técnico Sérgio Soares procurou reforçar a marcação do seu meio-campo, para tenta evitar a pressão do Grêmio Prudente. O nervosismo tomou conta de todos em Prudente, enquanto o time do ABC fazia de tudo para manter a bola no campo adversário e manter o placar. E conseguiu graças a uma grande defesa do goleiro Júlio César, no último lance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.