Santos agora só pensa em fugir da zona de risco

Diante do Grêmio, time de Muricy abandona projeto de vaga no G-4 para somar pontos e se afastar do rebaixamento

SANCHES FILHO / SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2012 | 03h03

O Santos quer repetir contra o Grêmio, hoje às 18h30, no Olímpico, a boa atuação da quarta-feira, na conquista da Recopa Sul-Americana diante da Universidad de Chile, para se recuperar do tropeço que sofreu frente à Portuguesa na última rodeada. O plano de Muricy Ramalho é que o time consiga duas vitórias seguidas - hoje e contra o Internacional, no próximo sábado, na Vila Belmiro - antes de ficar três partidas sem Neymar, convocado para os amistosos da seleção.

A preocupação santista no momento é mais para se afastar definitivamente do bloco dos ameaçados de rebaixamento do que ainda conseguir a vaga para a Libertadores. Com 33 pontos, o time está com seis pontos de vantagem sobre o primeiro clube da zona da degola, o Sport. Não haveria motivo para preocupação se a equipe não caísse tanto de produção sem Neymar.

Do time que conquistou o segundo título do centenário santista e salvou o segundo semestre, no meio da semana, só não vão jogar os laterais Bruno Peres, que voltou a sentir uma lesão na coxa esquerda, e Léo, com uma contratura na panturrilha esquerda. Na direita, Muricy deve escalar o garoto Douglas. Para o lugar de Léo, o treinador tem duas opções: Juan, que já não apresenta a eficiência do começo da temporada, e Gerson Magrão, que marca melhor e tem boa qualidade no passe.

Muricy orientou aos jogadores para evitarem cometer faltas perto da área, em razão de conhecer a qualidade de Elano nas cobranças. Ele também deve reforçar a marcação no meio e tentar surpreender o Grêmio nos contra-ataques.

O jogo de hoje marca o reencontro de Muricy e Luxemburgo, dois dos técnicos mais vencedores do futebol brasileiro na atualidade. Mas, para o treinador santista, a importância de ambos no espetáculo é mínima.

"Esse negócio nó tático quem inventou foram vocês da imprensa, mas não existe porque quem ganha são sempre os jogadores. A porcentagem da importância dos jogadores numa vitória é de 75% e do treinador de 25%. Às vezes, falam do nó tático para valorizar um técnico e ou então para desvalorizá-lo quando o time perde. Sempre é assim: os jogadores ganham e o técnico perde. Técnico tem a obrigação fazer trabalho, mas quem resolve em qualquer time do mundo são os jogadores", finalizou Muricy.

Grêmio atento a Neymar. Poupados do jogo contra o Barcelona de Guayaquil, pela Copa Sul-Americana, o zagueiro Gilberto Silva e o meia Zé Roberto voltam ao time. Eles usam a experiência que têm para ajudar o time a tentar anular Neymar. A tarefa direta, no entanto, é do zagueiro Werley. Luxemburgo avalia que a série de seis jogos que começa com o Santos, dos quais quatro em casa, pode definir as chances que o Grêmio terá na competição. O mínimo que o clube quer é manter o mesmo porcentual de aproveitamento do primeiro turno para garantir vaga na Taça Libertadores.

GRÊMIO

Marcelo Grohe Pará

Werley

Gilberto Silva

Anderson Pico

Fernando

Souza

Elano

Zé Roberto

Kleber

Marcelo Moreno

Técnico:

V. Luxemburgo

SANTOS

Rafael

Douglas

Bruno Rodrigo Durval

Gerson Magrão Adriano

Arouca

Felipe Anderson Pato Rodríguez Neymar

André

Técnico:

Muricy Ramalho

Juiz: Nielson Nogueira Dias (PE)

Local: Estádio Olímpico

Horário: 18h30

Transmissão: SporTV

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.