Santos amarga empate e torce contra a rival

O 0 a 0 de ontem com o Barueri deixou equipe na dependência de tropeço da Lusa hoje para seguir no G4

Marcon Beraldo, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2009 | 00h00

Vontade não faltou: o time correu muito, mostrou empenho, criou chances. Mas, no final, o Santos teve de amargar um empate por 0 a 0 com o Barueri, ontem à tarde, na Arena Barueri, e hoje vai ficar torcendo por um tropeço da Portuguesa diante do Marília, no Canindé, para continuar no grupo dos quatro melhores classificados do Campeonato Paulista. O Santos tem agora 31 pontos, ao lado da Lusa. Ambos têm o mesmo número de vitórias (nove) mas a equipe santista possui melhor saldo de gols. As duas equipes têm confronto marcado para quinta-feira na Vila Belmiro.Os jogadores e o técnico do Santos reclamaram bastante de um gol de Fabiano Eller mal anulado pela arbitragem: foi assinalado impedimento do zagueiro. Mas o juiz também ignorou, na primeira etapa, um pênalti de Luizinho em Fernandinho - que ainda acabou recebendo cartão amarelo.No intervalo, o santista Madson pedia mais calma. "Precisamos chutar mais a gol, porque choveu e o campo não está bom." Já o centroavante Pedrão, do Barueri, reclamava do isolamento: "Muito chutão pra frente e o Fabão é alto. Precisamos jogar com a bola no chão".O Santos voltou bem mais ofensivo no segundo tempo, insistindo bastante pela esquerda, com Triguinho: o lateral cruzou várias vezes e também teve chances para finalizar. Mas faltou pontaria a ele e também a Paulo Henrique, que cobrou uma falta da entrada da área para fora. Roni, que entrou no segundo tempo no lugar do ontem inoperante Kléber Pereira, também não acertou o gol. O garoto Neymar, desta vez, não foi feliz nas conclusões.E, no final, as melhores chances de gol foram do Barueri, depois que as duas equipes passaram a fazer ligação direta da defesa para o ataque. As duas oportunidades com o atacante Fernandinho. Na primeira, à frente do goleiro, ele chutou no travessão. E, na segunda, após superar Pará, obrigou o goleiro Fábio Costa a fazer difícil e sutil defesa em um chute cruzado no canto esquerdo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.