Stringer/Reuters - 13/2/2012
Stringer/Reuters - 13/2/2012

Santos aposta em Neymar e mais 10

Para chegar ao bicampeonato da competição continental, equipe comandada por Muricy Ramalho tem esperança também na recuperação de Ganso

SANCHES FILHO - Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2012 | 03h08

SANTOS - A Libertadores de 2012 começa amanhã para Corinthians e Santos. Os dois representantes do futebol paulista têm apostas distintas na briga pelo título. O Corinthians, com estreia marcada contra o Deportivo Táchira, da Venezuela, vai jogar suas fichas na força do conjunto e experiência. E o Santos, que inicia a corrida pelo tetra diante do The Strongest, da Bolívia, vai de Neymar e na esperança da plena recuperação de Paulo Henrique Ganso.

Aliás, o meia santista está disposto a esquecer por um tempo os problemas de relacionamento com o Santos e usar a Libertadores para voltar como antes das contusões e da cirurgia no joelho esquerdo. No embarque do time para a Bolívia, ontem, Ganso falou pouco, mas mesmo assim demonstrou ser um dos jogadores mais motivados para a estreia amanhã, às 19h45 (horário de Brasília), em La Paz.

"Quero ser o Ganso do ano passado melhorado", disse o meia. "Quero ajudar o Santos a conquistar as vitórias e brigar pelos títulos". Depois de ser decisivo nos jogos mais importantes da campanha da conquista do título de 2011, ele sabe que está diante da grande oportunidade de voltar a ser o armador cobiçado por grandes times da Europa, com possibilidade de uma transferência para o exterior na janela do meio do ano.

O jogo de amanhã será o quarto de Ganso em 2012, ainda sem uma grande atuação, mas com alguns momentos brilhantes, como no clássico contra o Palmeiras, em Presidente Prudente, quando colocou a bola na cabeça de Neymar para que o atacante marcasse seu 100.º gol como profissional.

Diante Botafogo, em Ribeirão Preto, Ganso fez mais uma assistência perfeita para que Neymar marcasse gol idêntico, um dos seus três na goleada por 4 a 1.

Nova função. O meia tem consciência do seu talento e sabe que está devendo futebol, mas tem se esforçado para se adaptar à nova função em que Muricy Ramalho quer vê-lo atuando: mais recuado, quase como um segundo volante, ajudando na marcação ao lado de Arouca e na saída de bola da defesa para o ataque.

Seria uma alternativa para Muricy reorganizar o setor que tem sérios problemas com Henrique e Elano. O primeiro não repete as atuações que tinha no Cruzeiro, e Elano não consegue superar a interminável má fase desde o pênalti perdido contra o Paraguai na Copa América de 2011.

É provável que o treinador já tenha imaginado o time com volantes mais técnicos, como Arouca e Ganso, para encaixar Alan Kardec no ataque ou Felipe Anderson no meio.

Recuado ou não, Ganso sabe que começar bem a Libertadores é fundamental. "Nós sabemos pouca coisa do The Strongest. Agora, independentemente de quem nós vamos enfrentar, o fato de sermos os detentores do título é uma responsabilidade a mais", disse o meia. "O Santos precisa começar a Libertadores vencendo para que possamos ir em busca do título neste ano também."

O Santos já está em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, desde ontem para estrear contra o The Strongest, amanhã, nos 3.367 metros de altitude de La Paz. A segunda etapa da viagem, de Santa Cruz de La Sierra para La Paz, será horas antes do jogo, em voo fretado. O time deve ter: Rafael, Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca, Henrique, Elano e Ganso; Borges e Neymar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.