Santos arma retranca para segurar Cruzeiro

Luxemburgo escala três zagueiros e barra Petkovic contra o vice-líder

Eduardo Kattah e Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

03 de outubro de 2007 | 00h00

O Santos vai priorizar a marcação no duelo de hoje, contra o Cruzeiro, às 21h45, no Mineirão. O técnico Vanderlei Luxemburgo vai escalar três zagueiros e barrar o meia Petkovic para enfrentar o melhor ataque do Campeonato Brasileiro, com 64 gols (20 a mais do que o líder São Paulo).Luxemburgo sabe que a chance de somar três pontos hoje vai passar pela capacidade de seu time de neutralizar o ataque cruzeirense. O técnico aposta ainda no desespero do Cruzeiro, que precisa apagar o vexame da última rodada - derrota por 2 a 1 para o Figueirense.Para não ser surpreendido, Luxemburgo armou o time com Domingos, Marcelo e Adaílton na zaga. Com a formação 3-5-2, há uma outra vantagem: Kléber fica mais solto, com a missão de fazer com que a bola chegue com qualidade ao ataque, que será formado por Kléber Pereira e Renatinho.Para motivar seus jogadores, Luxemburgo mostrou que os 10 jogos que restam neste Brasileiro vão determinar o destino do Santos em 2008. Uma vaga na Taça Libertadores pode significar um time mais forte, com reforços de peso. O fracasso resultará em redução do grupo e corte de gastos.O retrospecto santista fora na Vila Belmiro, porém, é ruim: foram oito derrotas, um empate e apenas quatro vitórias.CRUZEIRO EM CRISEO adversário do Santos, vice-líder do Brasileiro, deixou escapar no último domingo uma grande chance de continuar sua perseguição sobre o São Paulo. Perdeu por 2 a 1 para o Figueirense, em pleno Mineirão, e viu o líder abrir 12 pontos.A derrota abriu um princípio de crise no elenco. O atacante Roni, de 30 anos, um dos mais experientes do time, reclamou que faltam ''''atletas mais rodados'''' no elenco. O lance que gerou o segundo gol dos catarinenses no jogo de domingo nasceu de um erro do atacante Guilherme, de 18 anos.''''Ficou claro que a juventude pode atrapalhar nossa equipe. A gente sentiu realmente que teve momentos em que dava um certo branco em alguns jogadores'''', disparou Roni, sem citar nomes, mas numa evidente crítica a Guilherme.Sem entrar em polêmica, o técnico Dorival Júnior pediu que a derrota fosse esquecida rapidamente. ''''Temos de pensar no Santos'''', declarou o treinador. ''''Enquanto houver chance, não jogo a toalha''''.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.