Santos ataca para apagar má impressão

Muricy escala Patito para deixar o time ofensivo. A ideia é superar o fiasco da derrota para o lanterna Atlético Goianiense

SANCHES FILHO / SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2012 | 02h04

Muricy Ramalho vai aproveitar a ausência de Adriano - vetado pelo departamento médico - para aumentar o poder ofensivo do Santos contra o rebaixado Figueirense, hoje às 19h30, na Vila.

No lugar do volante entra o argentino Pato Rodríguez para ser o segundo meia, com liberdade para chegar à frente e ajudar André e Neymar. Será uma nova oportunidade para Rodríguez justificar a sua contratação como possível substituto de Ganso. Descrito como um jogador "diferente" pelo próprio Muricy, Patito passou a atuar como um simples carregador de bola.

"Acho que ele sentiu um pouco a pressão de jogar num clube da grandeza do Santos", disse o treinador.

O time precisa da vitória para apagar a má impressão da derrota de virada para o lanterna Atlético-GO na rodada passada, em Gama. Enquanto a maioria dos jogadores já está com a cabeça nas férias, Neymar vai entrar em campo motivado porque o jogo de hoje será a sua primeira oportunidade de dar a volta por cima após a cobrança bisonha do pênalti no amistoso do Brasil contra a Colômbia.

Até o apagado João Pedro, que apenas faz número no elenco, aproveitou para zoar o craque, ontem à tarde. Antes de o rachão começar, o meia colocou a bola sobre uma peça plástica e imitou a cobrança, chutando a bola nas alturas. Todos riram, inclusive Neymar e Muricy, que estava fora do campo. "Isso é que legal. O companheiro brincou e Neymar levou numa boa", afirmou o treinador. "O cara (Neymar) não se abate com nada. Se amanhã (hoje) tiver um pênalti, ele pega a bola e vai bater", acrescentou.

Julgamento. O jogo de hoje poderá ser o último da temporada do time na Vila porque o clube voltará a ser julgado, na quinta-feira, em razão das moedas atiradas no meia Ganso, na derrota frente ao Bahia, no fim de agosto. Como a pena prevista é a perda de até 10 mandos em caso de condenação, o clássico contra o Palmeiras, na última rodada, dia 2 de dezembro, será transferido pela CBF para um estádio a 100 quilômetros da Vila Belmiro.

Com a nova contusão de Galhardo (edema na coxa esquerda) retorna Bruno Peres. Galhardo, que ficou parado por cinco meses por causa da fratura no dedinho do pé esquerdo, corre o risco de se voltar a atuar só em 2013 por causa da nova lesão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.