Santos bate Corinthians e ganha o Paulista pela 19ª vez na história

Com gols de Arouca e Neymar, um em cada tempo, equipe bate o Corinthians em casa em clássico frio e levanta o bicampeonato estadual

Bruno Deiro, Fábio Hecico e Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2011 | 00h00

SANTOS

Foi necessária uma espera de 50 anos para que um clube erguesse o troféu de campeão na Vila Belmiro. E, assim como aconteceu em 1961 (última vez em que o estádio abrigou uma decisão de campeonato), foi o dono da casa quem sorriu por último.

Com a vitória de 2 a 1 sobre o Corinthians, ontem à tarde, com gols de Arouca e Neymar (Morais descontou para o rival), o Santos conquistou seu 19.º título estadual e, agora, volta suas atenções totalmente para a disputa da Taça Libertadores.

Na quarta-feira, a equipe recebe o Once Caldas (Colômbia) no Pacaembu e precisa apenas de um empate para avançar ao estágio semifinal do torneio, já que venceu o jogo de ida, na semana passada, por 1 a 0.

Muricy. O triunfo de ontem foi o segundo obtido pelo técnico Muricy Ramalho no Estado (ele já havia sido campeão com o São Caetano, em 2004). Desta vez, também foi especial: a taça veio após somente 11 jogos com Muricy à frente da equipe santista (Adílson Batista e Marcelo Martelotte também dirigiram o clube na temporada).

Com o atual treinador, o Santos, que tinha como principal característica um ataque vertiginoso capitaneado por Neymar, ganhou consistência defensiva. Para se ter uma ideia dessa solidez, o gol do corintiano Morais, ontem, encerrou uma incrível série de seis jogos em que o time santista não era vazado.

Atual campeão estadual, os santistas cravaram o bicampeonato, feito que o clube obteve também em 2006 e 2007.

A partida foi disputada, em vários momentos, sob uma leve garoa, insuficiente para esfriar os ânimos dos torcedores.

Curiosamente, o estádio não recebeu lotação total: só 14.322 pessoas pagaram ingresso para ver o confronto.

Apesar dos três gols, a final do Campeonato Paulista foi disputada em ritmo lento e teve poucos momentos de emoção. O Santos controlou as ações em boa parte do jogo e só foi realmente ameaçado nos minutos finais, quando já vencia por 2 a 0 e acabou cedendo terreno para o Corinthians pressionar.

Apesar da derrota na decisão, o técnico Tite deverá permanecer no Corinthians, que também inicia uma reformulação. O clube já contratou o meia Alex (ex-Spartak de Moscou) e negocia com o volante Fábio Simplício, atualmente na Roma.

Ídolo. Fora de campo, o Corinthians teve o apoio de um de seus maiores ídolos: Ronaldo Fenômeno, que encerrou a carreira neste ano, foi à Vila e chegou a passar pelos vestiários, antes do jogo, para incentivar os colegas.

Pelé, dono de um camarote no estádio, nem sequer viu a decisão - ele estava em Santiago (Chile) acompanhando o clássico chileno entre Universidad Católica e Universidade de Chile ao lado do presidente daquele país, Sebastián Piñera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.