Santos bate o Flu e sobe para 14.º

Kléber Pereira segue cumprindo a promessa de salvar o time da queda

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

15 de setembro de 2008 | 00h00

Kléber Pereira está dando fôlego ao Santos no Brasileiro. Depois de ser acusado por alguns torcedores de ?cachaceiro, baladeiro e desinteressado?, ele chamou para si a responsabilidade de salvar o time do rebaixamento e está cumprindo. Com muitos gols e criando as principais jogadas ofensivas, o artilheiro da competição - já fez 18 - voltou a se destacar e ajudou a levar o time à 14ª posição, após marcar uma vez na vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, ontem à noite, na Vila Belmiro."Fico muito emocionado e feliz em dar alegria para essa torcida, a melhor do mundo", diz o atacante, mostrando estar, agora, em harmonia com a turma da arquibancada. Antes alvo de críticas, Kléber Pereira virou o principal ídolo santista e, ao final dos jogos, deixa o campo ovacionado, não importa o resultado, mas pelo espírito de luta."Não dava para entender este time na zona de rebaixamento, como começamos o jogo (estava em 17º por causa dos demais resultados). Fomos bem no Paulista, na Taça Libertadores. Temos é de brigar por outras coisas", enfatizou.Com a vitória, o Santos chegou ao sexto jogo sem derrota. Na próxima rodada, a equipe terá seu grande desafio da fase. Visita o embalado Goiás, que vem de cinco vitórias seguidas em casa e aparece como o melhor da fase, com 13 pontos ganhos em 18 possíveis. O clima para o duelo é de revanche. Até hoje os santistas não esqueceram do dia 22 de junho, quando foram goleados por 4 a 0.O duelo de ontem marcou o reencontro com o técnico Cuca. O ex-treinador santista, agora dirigindo o clube carioca, trouxe sua equipe a campo na hora em que o Hino Nacional era executado. Assim, evitou as vaias da torcida. Mas mostrou não ter inimigos na Vila. Um a um, cumprimentou todos os seus ex-jogadores. "Coisas do futebol, um dia você está num lugar, outro dia em outro. Não tive problemas aqui. E vamos para um bom jogo", discursava.Viu Kléber Pereira brilhar. O atacante criou várias chances, quase fez golaço de longa distância, ao encobrir Diego, anotou duas vezes, sendo um anulado, e deu até chapéu. Ainda aplaudiu o gol de Bida. No fim, Romeu diminuiu, mas já era tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.