Santos despacha rival direto do G4

Com atuação destacada de Neymar, time faz 3 a 0 sobre o Santo André, na Vila, mas ainda está fora dos 4 primeiros

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2009 | 00h00

O Santos entrou em campo, na noite de ontem, contra o Santo André, para tentar voltar ao G4 do Campeonato Paulista. Neymar pisou no gramado da Vila Belmiro empolgado por ter recebido elogios de Pelé à tarde (ver abaixo). O primeiro objetivo não foi alcançado - a vitória por 3 a 0 colocou o time na quinta colocação, com 30 pontos -, mas o garoto de 17 anos deu mais um show. Ajudou seu time a deixar para trás um concorrente direto às semifinais - o adversário tem 3 pontos a menos.Neymar foi a estrela da equipe. Horas antes do jogo, teve a felicidade de encontrar pessoalmente seu ídolo. Os elogios que recebeu o motivaram e o garoto deu trabalho à zaga adversária. Caiu pela esquerda, se livrou dos marcadores pela direita, driblou, irritou os rivais, discutiu. Marcou seu terceiro gol no profissional, deixou o campo com dores no pé esquerdo e foi aplaudido pela torcida. Hoje, passará por exames. "A alegria pelo gol faz diminuir um pouco a dor", disse, logo após ser substituído e com o médico do clube já o tratando. "Mas está doendo pra caramba."Vágner Mancini cansou de dar broncas no seu time durante o intervalo em jogos anteriores. Na maioria das vezes a bronca do treinador surtiu efeito e o Santos conquistou a vitória no segundo tempo. Na última rodada, nada deu certo e a derrota para o Corinthians acabou acontecendo por 1 a 0. Ontem, Mancini pôde descer tranquilo para o vestiário ao término do primeiro tempo: o placar já apontava 2 a 0.O Santos teve uma dose de sorte: logo no primeiro minuto, Cesinha cabeceou para fora e perdeu a chance de colocar o Santo André à frente. Depois do lance, o Santos tomou conta da primeira etapa. Aos 18 minutos, Neymar começou a jogada pela esquerda e tocou para Madson acertar um belo chute de fora da área: 1 a 0. Triguinho fez o segundo também num petardo de longa distância, aos 40.Os donos da casa voltaram devagar para o segundo tempo. Pareciam ter sentido a falta de críticas do treinador. Sonolentos, viram Moraes subir sozinho para quase diminuir o placar: o goleiro Fábio Costa salvou o time de ser vazado.Neymar, ainda inteiro no jogo, sonhava com seu gol. Quando recebeu de Madson, teve tranquilidade para balançar as redes, aos 21 . Cinco minutos depois deixou o campo machucado, mas não deve desfalcar o time contra o Barueri, sábado.Ricardo Conceição ainda tentou diminuir, mas acertou o travessão. A noite de ontem era mesmo alvinegra, apesar de ainda não ter conseguido voltar ao G4. "Entramos ligados, com vibração", comemorou Neymar. "Hoje (ontem) fomos um outro time", disse o jovem, comparando a atuação do Santos com a derrota para o Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.