Santos encanta, mais uma vez, e faz 8

Time humilha o Guarani em noite de Neymar, autor de cinco gols, e agora volta a pensar no São Paulo

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

O Santos confirma a cada dia ser o time do momento, do espetáculo, do futebol raro nos dias de hoje. Anteontem, seus jogadores e o técnico Dorival Jr. não se intimidaram em dizer que o objetivo era golear o Guarani, no primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, na Vila, para se poupar na partida de volta, em Campinas. Não tiveram dó do adversário e fizeram 8 a 1, num massacre do primeiro ao último minuto, ontem.

O placar de 8 a 1 é de impressionar em qualquer confronto. Mas, ultimamente, nos jogos do Santos as goleadas vêm se tornando algo rotineiro. O time já fez 10 a 0 no pobre Naviraiense, do Mato Grosso do Sul, na primeira fase da Copa do Brasil, e 9 a 1 no Ituano, pelo Campeonato Paulista. Mais "modesto", fez ainda 5 a 0 no Prudente e no Monte Azul, 6 a 3 no Bragantino e 4 a 0 no Rio Branco e no Remo.

No dia de seu 98.º aniversário, a equipe deu um presentão aos mais de 8 mil torcedores na Vila. E transformou o duelo diante do Guarani, na semana que vem, apenas num treino. Possibilidade para que Dorival Jr. escale reservas e poupe as estrelas para a final do Paulista ? claro, se o time confirmar a vantagem e passar pelo São Paulo, no domingo.

O destaque da noite foi Neymar, já na mira do Real Madrid. O jovem atacante marcou cinco gols, seu recorde pessoal, e comandou o show. Robinho, que disputou a 200.ª partida com a camisa alvinegra, também mostrou seu repertório de jogadas geniais e fez dois. Marcel contribuiu, de pênalti, para os 8 a 1.

Nas comemorações houve de tudo. A mais inusitada ocorreu depois do primeiro gol, de Neymar, em cobrança de pênalti, com paradinha. Os atletas se juntaram e puseram boné. O motivo, segundo eles: homenagear o rapper Mano Brown, fanático torcedor santista. No fim, o placar de 8 a 1 poderia até ter sido mais dilatado, não fossem algumas brincadeiras dos talentosos Meninos da Vila.

Dorival rasgou elogios a Neymar. "Ele precisa ter essa fome de gols." E defendeu com ênfase a presença do atacante na Copa. Agora o time volta as atenções para o jogo com o São Paulo, em que pode até perder por um gol de diferença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.