Santos ganha sem esforço do Mirassol

Time joga bem apenas na etapa final, mas vence por 3 a 1 e chega à zona de classificação; estreante, Juan fez o primeiro gol

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2012 | 03h01

Gol: Juan aos 12 minutos do primeiro tempo. Borges aos 3, Preto aos 7, Edu Dracena aos 17 do segundo.

MIRASSOL (4-4-2): Fernando Leal; Eric, Matheus Ferraz, Dezinho e Márcio Careca (Samuel); Sérgio Manoel (Acleisson), Alex Silva, Gilsinho (Esley) e Xuxa; Borebi e Preto. Técnico: Ivan Baitello.

SANTOS (4-4-2): Aranha; Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca, Henrique, Ibson (Elano) e Ganso (Felipe Anderson); Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

Juiz: Philippe Lombard.

Cartão amarelo: Sérgio Manoel, Márcio Careca, Acleisson, Aranha, Ganso, Xuxa, Gilsinho, Neymar, Eric. Vermelho: Esley.

Renda: R$ 34.2178,00.

Público: 8.140 pagantes.

Local: Estádio José Maria de Campos

Juan precisou de apenas 12 minutos para mostrar à torcida do Santos que tem condições de assumir a titularidade da equipe e possibilitar a Léo ter um final de carreira sem muito desgaste. Logo em seu primeiro jogo com a camisa alvinegra, o lateral-esquerdo fez o gol que abriu a vitória por 3 a 1 sobre o Mirassol, resultado que deixa o time na zona de classificação à próxima fase.

Apesar da vitória, o Santos jogou bem só no segundo tempo, mas soube aproveitar as oportunidades criadas. Juan acertou um chute que lembrou o jogador dos tempos de Flamengo, não os de São Paulo. Borges acabou com a seca de gols fazendo o seu primeiro na temporada e Edu Dracena garantiu, de cabeça, a vitória tranquila.

No começo do jogo, a impressão é de que o Santos faria bonito. Bons passes, jogadas de velocidade e o gol de Juan, que aos 12 minutos pegou rebote da defesa e chutou sem chances para Fernando Leal. O Mirassol tentou sair para o jogo, mas não conseguiu superar a boa marcação santista.

Mas, com o passar do tempo, o Mirassol começou a se soltar um pouco mais, ainda que sem ameaçar muito ofensivamente. Neymar tentou fazer a diferença, mas não esteve em um dia inspirado.

No segundo tempo, o Santos voltou atacando e deu a impressão de que iria "matar o jogo". Logo no primeiro minuto, Acleisson tentou cortar a bola com o braço dentro da área. Aos 3, Borges cobrou o pênalti e ampliou a vantagem. Foi o seu primeiro gol na temporada.

Sem sustos. Aos 7, Ibson tentou driblar no meio de campo e perdeu a bola para Xuxa, que tocou para Preto. O atacante acertou uma bomba e descontou.

Mas, antes que a partida pudesse virar um drama, Neymar e Ganso passaram a participar mais do jogo e comandaram o ritmo da equipe. E aos 18, Elano cobrou uma falta sofrida por Neymar perto da área e jogou na cabeça de Edu Dracena.

O Mirassol não se entregou, mas o Santos conseguiu segurar bem o adversário e esteve mais próximo de marcar o quarto gol do que de levar o segundo.

Neymar aproveitou a vitória garantida para tentar marcar o seu. Quase conseguiu aos 35, quando saiu na cara do gol, mas Fernando Leal venceu o duelo. O garoto correu até o apito final, mas o gol não saiu. Nem foi necessário. Juan, Borges e Edu Dracena garantiram a festa.

Ao final do jogo, Neymar comemorou a evolução da equipe, que aos poucos vai melhorando.

"O Santos está ficando cada vez mais consistente e estamos pegando um bom ritmo", disse o atacante, que quase fez um golaço, encobrindo o goleiro, no segundo tempo. "Esperei ele cair e não deu. Tentei seguir o que o meu pai falou, que é bater por cima do cara", explicou.

O técnico Muricy Ramalho também viu uma equipe com postura semelhante ao time do ano passado. "Aos poucos, estamos fazendo o futebol que o Santos gosta de praticar. Hoje o time estava compacto e estamos melhorando pouco a pouco."

Ontem, o Santos anunciou Felipe Faro como novo superintendente de esporte. Ele trabalhava na Traffic.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.