'Santos já segurou Neymar demais'

Muricy Ramalho insinua que o craque vai mesmo embora para a Espanha após a Olimpíada, em agosto de 2012

VITOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2011 | 03h03

Muricy Ramalho deu um sinal de que Neymar vai mesmo embora para o Real Madrid depois da Olimpíada de Londres, como revelou o estadão.com.br na madrugada de domingo, dia 4. Após a vitória por 2 a 1 sobre o América-MG em Uberlândia, ele disse que o Santos segurou o jogador até demais.

"Com certeza, no meio do ano que vem não tem como segurar. Estamos segurando o máximo, e acho que o Santos conseguiu segurar até demais."

Muricy fez o jogo da diretoria e não confirmou que o craque está negociado. "As pessoas estão trabalhando bem, fazendo a coisa certa. Se fizeram algum negócio, que bom que vocês (jornalistas) não sabem, porque amanhã o Neymar joga mal e vocês vão criticá-lo porque já foi negociado. Está perfeito."

Uma fonte ligada ao Santos ouvida pelo Estado, ontem, fez o seguinte comentário sobre as declarações do treinador. "Para bom entendedor meia palavra basta. O Muricy deixou claro que sabe que o negócio está fechado."

Estratégia ensaiada. O silêncio em torno da negociação e a demora para confirmá-lo oficialmente fazem parte da estratégia das partes envolvidas. O presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro e seus pares não têm interesse em anunciar a venda de Neymar antes da eleição marcada para dezembro no clube.

Além disso, como ele, o jogador e seu estafe têm desmentido o acordo - e até que o exame feito sexta-feira em São Paulo foi supervisionado pelo médico do Real Madrid, Carlos Diez -, não ficaria bem revelar que na verdade está tudo definido.

Os advogados enviados pelo Real Madrid - Javier Farré e Julio Senn - continuam em São Paulo aguardando a conclusão burocrática das negociações envolvendo os clubes e o jogador.

Transação. O Santos vai receber do clube espanhol 60 milhões (R$ 146 milhões, valor bem mais alto que a multa rescisória estipulada pelo jogador), que serão divididos da seguinte forma: 45% para o clube paulista (R$ 65 milhões), 40% para o grupo de investimento DIS (R$ 58 milhões), 10% para Neymar (R$ 14,6 milhões) e 5% para outro grupo de investidores, a Teisa (R$ 7,3 milhões, conforme revelou o Estado, dia 6.Neymar custará ao Real, por ano, algo em torno de 10 milhões de euros (R$ 24,3 milhões). / COLABOROU LUIS AUGUSTO MONACO

SANTOS. RECEBE O FIGUEIRENSE, AMANHÃ,

18H, NA VILA BELMIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.