Santos joga à procura de paz

Equipe precisa vencer o Paulista para, pelo menos, amenizar a crise

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

03 de fevereiro de 2008 | 00h00

A escalação do Santos para o jogo de hoje contra o Paulista, em Jundiaí, não será aquela sonhada pela torcida, mas sim a melhor que o técnico Emerson Leão conseguiu reunir para tentar iniciar uma reação no Campeonato Paulista. Fábio Costa, que não jogou na derrota diante do Barueri porque estava afastado por indisciplina, volta ao gol e será o capitão da equipe. Outra novidade é o meia Luiz Henrique, de 22 anos, ex-jogador do Paulista. Leão não poderá contar com Kléber Pereira - o atacante foi vetado ontem pelo departamento médico por causa de uma torção no tornozelo esquerdo. Depois de 15 dias de testes no CT Rei Pelé, Luiz Henrique foi aprovado por Leão e assinou contrato de três meses com o clube. O meia entra no lugar de Rodrigo Tabata que, além de passar por uma má fase, perdeu pênalti contra o Barueri.O jogo coloca frente a frente dois times em situação delicada na tabela do Estadual - eles estão entre os últimos colocados e separados por apenas um ponto. O Paulista, que perdeu do Guaratinguetá na sexta-feira, é o 19º colocado, com 3 pontos, e está logo abaixo do Santos, que soma apenas 4.Vencer significa sair da zona de degola e dormir aliviado. Uma derrota afundaria de vez o time na crise. Em cinco jogos, o Santos ganhou uma única vez (2 a 0 no Bragantino) e, quando ameaçava reagir, voltou a decepcionar a torcida no tropeço contra o Barueri (2 a 1), em plena Vila Belmiro, quinta-feira.Com o veto de Kléber Pereira, Leão vai manter a dupla de garotos Alemão e Tiago Luís. O técnico acredita que, superada a ansiedade da estréia, Alemão deve se soltar fora de casa.DESFALQUESAlém de ter perdido quatro titulares - Alessandro, Maldonado, Pedrinho e Marcos Aurélio - depois de acertar sua volta ao Santos, Leão vê aumentar seus problemas a cada rodada. O lateral-esquerdo Kléber, que até agora jogou pouco mais de um tempo, vai ficar inativo durante 10 dias. E Adriano, que atuou improvisado na ala-direita contra o Barueri, e tinha chance de se firmar na posição, foi vetado para o jogo de hoje por causa de uma conjuntivite.Apesar da forte pressão da torcida e da difícil missão de ter de refazer o time com poucos recursos, Leão ainda não se sente ameaçado pelo rebaixamento, pois o campeonato está em sua fase inicial. "Sou otimista por natureza. E, se não fosse, não teria aceitado dirigir o Corinthians e o Atlético-MG nas condições em que eles se encontravam."NOVO TÉCNICOO Paulista também vive um momento delicado no Estadual - são apenas três pontos em cinco jogos - e está sob pressão. O técnico Giba, que passou pelo Santos e pelo próprio Paulista, será o novo treinador da equipe, em substituição a Marcus Vinícius, demitido ontem em razão do péssimo desempenho - ele entrou em férias, oficialmente, mas quando retornar, deve ser rebaixado à auxiliar-técnico.Giba estréia no Paulista já diante do Santos. "Nós contratamos o Giba e precisamos dele no banco de reservas para comandar o time, porque não temos outra pessoa preparada", explicou o presidente do Paulista, Eduardo Palhares.Para o jogo de hoje, Júlio César deve entrar no lugar de Neto Baiano, suspenso em razão do terceiro cartão amarelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.