Santos joga mal, mas deixa a zona de degola

Fábio Costa faz milagres no triunfo por 1 a 0 sobre o Marília

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

08 de fevereiro de 2008 | 00h00

O Santos está fora da faixa de rebaixamento do Campeonato Paulista. Não por méritos ou por bom futebol, mas por noite inspirada do goleiro Fábio Costa e pelo oportunismo de Kleber Pereira. Com o triunfo apertado, sofrido, de 1 a 0 sobre o Marília, o bicampeão estadual enfim deixa a zona de risco depois de sete rodadas. Com 8 pontos, subiu para a 15ª colocação e ganhou um pouco de fôlego para o duelo de domingo, no Morumbi, diante do São Paulo.Os gritos de "É Fábio Costa, é Fábio Costa!", no fim, refletiram bem o que foi o jogo na Vila. Com três defesas mirabolantes, o goleiro evitou que hoje Santos estivesse reclamando da sorte ou dando justificativas sobre mais um tropeço. O desempenho do camisa 1 o foi tão importante que até Kleber Pereira se dirigiu a ele para cumprimentá-lo. Deu abraço carinhoso no herói da noite em forma de reconhecimento e também de agradecimento."Um jogo complicado, pois está difícil encaixar o time. Mas pelo menos ganhamos", discursou Fábio Costa. Seus milagres aconteceram antes de Kleber Pereira, aos 33 da fase final, aproveitar falha de Vinícius e acertar o canto de Mauro.O gol surgiu quando as vaias já começavam a ficar mais fortes no estádio. E serviu de alívio para seu autor. Kleber Pereira não começou bem a temporada. E, para piorar, ainda ficou duas partidas fora por causa de contusão no tornozelo esquerdo. Ontem voltou fazendo um prognóstico ousado: "Quero jogar bem, ajudar o time a vencer e se possível recolocá-lo na luta por uma classificação." Só isso. Confirmou em campo, ao acertar uma bola na trave e depois ao balançar as redes.E, quem diria?, nos cinco minutos finais, o Santos até poderia ter chegado à goleada. Foram várias chances desperdiçadas, com Rodrigo Tabata e principalmente com o garoto Alemão. "Esse é o preço que se paga por ter um time jovem", reconheceu Fábio Costa. "O torcedor tem de cobrar, mas é preciso paciência com a molecada. E eles (garotos) têm de entender que não são a salvação do time."De quebra, mandou um recado para o próximo rival. "Todos dizem que o Santos não está jogando bem, mas nenhum grande está, nem o São Paulo, que vem ganhando no sufoco."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.