Santos mantém vivo o sonho

Time tem outra atuação fraca, mas suficiente para bater o Santo André e ficar perto do G-4

Marcon Beraldo, O Estadao de S.Paulo

14 de setembro de 2009 | 00h00

O Santos não apresentou um futebol convincente contra o Santo André. Mas, pelo menos, cumpriu a obrigação e não decepcionou sua torcida: venceu por 1 a 0, ontem à tarde na Vila Belmiro, e manteve o sonho de integrar o grupo dos melhores times do Campeonato Brasileiro. O gol do jogo foi marcado por Germano, de cabeça. O time comandado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo tem agora 35 pontos. Já o Santo André, que praticamente não acertou um chute a gol, segue amargando a zona de rebaixamento, com 24 pontos.

Antes do início da partida, o centroavante Kléber Pereira chegou a fazer um pedido ao treinador santista. "Vamos pedir a ele a volta do Domingos (afastado esta semana por Luxemburgo). Ele tem o jeito dele de jogar", explicou.

Kléber Pereira chegou a acertar o travessão do goleiro Neneca, na etapa inicial, em um dos raros ataques concluídos pelo Santos. O outro foi o lance do gol: Léo cruzou, a bola passou pela área e sobrou para Neymar; o cruzamento foi na cabeça de Germano, que colocou a bola no canto direito.

Apesar de não acertar o gol defendido por Felipe, o Santo André armou pelo menos três contra-ataques, iniciados pelo meia Marcelinho Carioca; mas não era o dia de Júnior Dutra, que perdeu duas chances claras dentro da área, à frente do goleiro, concluindo para fora.

"O time foi bem", dizia Júnior Dutra no intervalo. "Vamos virar esse jogo no segundo tempo", prometia à sua torcida. A expectativa de Germano era parecida. "Estamos marcando bem. Agora é continuar mantendo a posse de bola e ampliar o marcador."

No segundo tempo o Santos melhorou mesmo na marcação, não permitindo mais que Marcelinho conseguisse fazer seus passes precisos. Com isso, pressionou o adversário, que não conseguia mais se organizar. E o jogo se arrastou assim até o final. O mais feliz ficou Alan Patrick, que entrou no segundo tempo e fez sua estreia no Santos. "Os jogadores me passaram confiança.""

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.