Santos não abre mão de ser ofensivo

O técnico Dorival Júnior deve armar o Santos ofensivo no clássico contra o São Paulo. No treino tático de ontem, ele escalou o ataque que desmontou inúmeras defesas na fase de classificação, com Robinho pela direita, André centralizado e Neymar na esquerda, além de substituir Pará por Wesley na lateral direita.

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2010 | 00h00

Com esta formação, o Santos terá apenas Arouca como marcador fixo à frente da zaga. Embora a defesa possa ficar mais exposta, com os três atacantes e mais a chegada de Wesley e dos meias Marquinhos e Paulo Henrique Ganso ao ataque, o time vai empurrar o adversário para o seu campo. A estratégia de Dorival é valorizar a força ofensiva da equipe para abrir as fases decisivas com uma vitória no Morumbi, domingo. "Não posso desprezar a principal característica da equipe depois de 19 jogos. Neste momento, tudo o que se pode fazer é corrigir algumas falhas observadas nas últimas partidas e repetir nos treinos o que foi feito até aqui, em busca do aperfeiçoamento", disse na noite de quarta-feira, após a vitória dos reservas contra o Sertãozinho por 4 a 2.

Antes de saber que a primeira batalha da decisão seria contra o São Paulo, Dorival afirmou que estava em dúvida entre escalar o time com dois volantes ou com três atacantes. Decidiu ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.