Santos ousado contra o Inter

Kléber Pereira e Maikon Leite: esperança de gols

Sanches Filho, SANTOS, O Estadao de S.Paulo

30 de julho de 2008 | 00h00

A luta do Santos contra o fantasma do rebaixamento continua hoje às 21h50 contra o Internacional, no Beira-Rio. Apesar de o time estar há 11 rodadas entre os últimos quatro colocados, o clima na equipe é de otimismo depois das vitórias contra Sport e Vasco. Agora, o desafio é ganhar fora de casa, passo decisivo para fechar o primeiro turno sem pressão, porque ainda enfrentará Coritiba e Atlético-MG na Vila Belmiro. O técnico Cuca escolheu o meia equatoriano Michael Jackson Quiñonez para ser o lateral-direito no lugar de Apodi, suspenso. Kléber volta a ser lateral-esquerdo, enquanto Michael vai para o meio, como atuava ano passado no Palmeiras. "Quiñonez tem treinado bem, é um jogador em evolução, maduro, experiente e que merece uma oportunidade", justificou o técnico santista. Cuca sabe da pressão que o Santos vai sofrer em Porto Alegre. "Como o Inter vem de resultado negativo (derrota contra o Ipatinga, em Minas) com certeza partirá para o abafa, mas vamos jogar para frente e oferecer perigo sempre", declarou. Para preparar seus comandados, Cuca mostrou vídeos e destacou as virtudes e os pontos fracos do Internacional. Fez até previsão do tempo. "Avisei que à noite vai chover e fazer frio em Porto Alegre." Cuca também minimizou os desfalques do Inter. Alex, principal organizador de jogadas dos gaúchos, está suspenso. "Mas aí entra o Andrezinho, que é muito bom jogador", comentou. "E se não jogar o Nilmar, entra o Valter, que é um tanque e tirou o Santos da Copa São Paulo."O que deixa Cuca animado é que o ataque voltou a funcionar com a quebra do jejum de Kléber Pereira. Depois de ter ficado no banco contra o Botafogo (quando entrou e fez dois gols), o camisa 9 voltou à velha forma e já é o artilheiro do Brasileiro.Molina também voltou a jogar bem e Maikon Leite justificou a contratação. "Nunca tive a melhor defesa, mas o melhor ataque, várias vezes. E artilheiros como Dimba (Goiás), Dodô (Botafogo) e Luís Fabiano (São Paulo)", declarou Cuca. "Só que eu busco o equilíbrio. Estamos no caminho certo, mas precisamos baixar o índice de gols sofridos", concluiu. OUTROS JOGOS DE HOJENo Canindé, Portuguesa e Fluminense tentam fugir da zona da degola. Em Salvador, o Vitória recebe o Atlético-PR. O Cruzeiro joga contra o Náutico no Mineirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.