Santos pega o Rio Branco, mas só pensa no clássico

Com a volta de Kléber Pereira, Vágner Mancini saca Roni para testar nova dupla de ataque com Neymar

Sanches Filho, SANTOS, O Estadao de S.Paulo

18 de março de 2009 | 00h00

O Santos muda pelo menos dois jogadores para enfrentar o Rio Branco hoje, às 21h50, na Vila Belmiro. Mesmo que perca por 1 a 0 o time se classifica à próxima fase da Copa do Brasil porque no jogo de ida ganhou por 2 a 1, no Acre, há um mês, na estreia do técnico Vágner Mancini. Kléber Pereira, que ficou fora de quatro partidas por causa de uma lesão muscular na coxa esquerda, está de volta, no lugar de Roni, assim como Madson, que assume a vaga do garoto Paulo Henrique Lima. Acesse e acompanhe online o jogo de hoje, a partir das 21h50A maior dificuldade do treinador santista é fazer com que os jogadores esqueçam do Corinthians e de Ronaldo e se concentrem no Rio Branco. "Dá a impressão de que nem vamos jogar com o Rio Branco. Saio na rua e só ouço falar de Corinthians", disse Mancini. "Mas esse jogo é de grande importância para o Santos. Quando não fizemos a diferença de dois gols no Acre, que eliminaria o confronto de volta, houve quem lamentasse, mas agora tenho de admitir que essa partida vem em boa hora", admitiu, indicando que será um treino para o clássico. Mas o próprio treinador admite que poderá mudar até o esquema contra o Corinthians. Depois da boa atuação da equipe na vitória por 3 a 0 diante do Mogi Mirim, Mancini sente-se à vontade para deixar no banco titulares importantes. Roberto Brum, líder dentro e fora de campo, é o primeiro ameaçado a perder o lugar. Hoje, Germano começa jogando - e, se repetir o futebol que mostrou domingo, será mantido para o clássico. Outro que corre risco de sair é Rodrigo Souto, pois Pará subiu muito no conceito do treinador depois da boa apresentação contra o Mogi.Como não pode deixar o xodó Neymar e o artilheiro Kléber Pereira de fora, o técnico deve sacrificar Roni, decisivo nas últimas partidas. "Neymar já sabe jogar com Roni e vai ter de aprender a atuar com os outros atacantes. Ele deve fazer com Kléber Pereira uma dupla que pode tornar o futebol bonito", analisou Mancini.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.