Santos perde série invicta de nove jogos

Com os reservas, equipe sofre derrota para o Guarani por 3 a 2, em Campinas, mas avança na Copa do Brasil

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

O Santos cumpriu tabela ontem em Campinas com derrota por 3 a 2 para o Guarani, no Brinco de Ouro, mas assegurou a passagem às quartas de final da Copa do Brasil. Após massacrar o rival na Vila Belmiro por 8 a 1, o time santista entrou com os reservas e deixou escapar o triunfo nos minutos finais.

O tropeço encerrou sequência de nove vitórias seguidas do Santos, que pagou o preço pela opção de poupar os principais jogadores, em meio à disputa das finais do Paulista. "Quando temos uma oportunidade dessas, precisamos vencer, mas em duas chances no fim a nossa defesa bobeou e eles viraram", lamentou Madson. "O importante é que seguimos na Copa do Brasil."

O meia formou dupla de ataque com André, que não conseguiu marcar, apesar das boas chances. Mesmo assim, Madson elogiou o desempenho dos reservas, que saíram atrás no placar e estavam vencendo por 2 a 1 até os 42 da etapa final. "A equipe foi bem, trabalhamos bem a bola como o Dorival Júnior pediu."

A vitória do Guarani veio em dois gols de Richard Falcão, que havia entrado minutos antes. O resultado retomou um pouco da autoconfiança do time de Campinas, após a goleada na Vila. E deu otimismo ao técnico Vagner Mancini, que ontem assistiu ao jogo das tribunas e assume hoje a equipe para a disputa do Campeonato Brasileiro.

Pressão inicial. O Guarani entrou disposto a mostrar serviço para o futuro treinador e pressionou o Santos no início da partida. Teve algumas boas chances em cruzamentos na área, mas à medida que o tempo passou o time de Campinas perdeu o fôlego e os santistas conseguiram equilibrar a partida.

Na saída para o intervalo, o goleiro Felipe reclamou do excesso de faltas do Guarani. Em um lance pelo alto, foi tocado nas costas por Léo Mineiro e teve de ser atendido. "A gente tinha conversado no vestiário. Ele é maldoso e sempre deixa o cotovelo", acusou o santista.

Emoção em um tempo. Com um bom público para um duelo já decidido anteriormente (mais de 8 mil foram ao Brinco de Ouro), o jogo ganhou em emoção na etapa final. Aos 7, Da Silva acertou chute desviado de fora da área e encobriu Felipe para abrir o placar para o Guarani.

A vantagem dos donos da casa, porém, durou pouco. Quatro minutos depois, Breitner acertou bela cobrança de falta no canto direito e igualou o marcador. A virada santista ocorreu aos 21, quando o lateral Alex Sandro pegou cruzamento de primeira e chutou forte, sem chances para o goleiro Juliano.

Inconformado com nova derrota para o rival, o Guarani começou a provocar os santistas e, após troca de agressões, Maycon e Zezinho foram expulsos. Quando a torcida do Santos já comemorava outra vitória, o reserva Richard Falcão aproveitou dois lances de ataque do Guarani para conseguir a virada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.