Santos se acomoda e recebe castigo

Com falhas incríveis na defesa e futebol irregular, equipe fica no 3 a 3 com o São Caetano, deixa de ser 100%, mas continua líder

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2011 | 00h00

Parecia que o Santos iria vencer mais uma vez com tranquilidade neste Paulista. O São Caetano estava atônito ontem, nos primeiros minutos da partida na Arena Barueri. O time da Vila, porém, mostraria dois defeitos graves: certa acomodação em vários momentos e, sobretudo, erros incríveis na defesa. Resultado: o aplicado e aguerrido time do ABC arrancou um empate por 3 a 3, fazendo seu primeiro ponto no Estadual. O Santos soma 10 e permanece líder. Domingo, pega o São Paulo, também na Arena Barueri.

O Santos tem empolgado com a bola nos pés, mas o jogo de ontem expôs falhas que precisam de correção urgente. A principal é o sistema defensivo. Zagueiros de área mau posicionados, um volante, Adriano, perdido na cobertura, um lateral-esquerdo, Léo, sem recuperação. Foi facilmente batido em todos os lances defensivos importantes de que participou.

O Santos, porém, começou muito bem. Com velocidade, movimentação e toque eficiente de bola, dominava facilmente. Fez 1 a 0 aos 8 minutos com Elano, cobrando bem, forte e rasteiro, pênalti sofrido Jonathan (foi empurrado na área por Bruno após bela tabela com Maikon Leite) e criou algumas outras boas chances - Luiz, goleiro da equipe do ABC, apareceu bem.

Só que a facilidade acabou quando o time resolveu diminuir o ritmo. O São Caetano, então, tratou de aproveitar e virou, após dois erros da defesa santista: aos 37 Artur cabeceou livre da altura da marca do pênalti após cobrança de escanteio (Rafael falhou), e aos 45 Vandinho fez depois de o baixinho Léo perder a disputa pelo alto com o esquio Luciano Mandi, em outra falha de posicionamento santista.

O Santos estava mal, mas Elano não admitiu. "Jogamos bem, erramos duas vezes e tomamos dois gols"", tentou esconder. "Vamos virar"", prometeu.

E ajudou a cumprir. O Santos acordou - possivelmente reflexo da conversa com Adilson Batista no vestiário - e precisou de apenas 7 minutos de futebol sério e objetivo para estar novamente à frente do placar.

Keirrison empatou aos 3, depois de driblar Marcelo Batatais e bater de bico, da entrada da área - Luiz vacilou; aos 7, Elano fez um belo gol (seu quarto no Paulista): roubou a bola de Artur e, sem ângulo, chutou forte, surpreendendo Luiz.

Aí, o Santos voltou a se acomodar e acabou castigado, aos 33 minutos: levantamento da esquerda, Rafael e Durval vacilaram e Vandinho empatou. Nos minutos restantes, o Santos até teve boas chances e poderia ter ganho. Mas, a rigor, não merecia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.