Santos se reabilita e vence o Atlético-MG no retorno à Vila

Desfalcada de seus principais jogadores, equipe se esforça muito para ganhar por 2 a 1, gols de Danilo e Borges

Marcon Beraldo, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

De volta à Vila Belmiro, o Santos se reabilitou no Campeonato Brasileiro ao vencer o Atlético-MG por 2 a 1, ontem à noite. O time, ainda bem desfalcado, melhorou sua posição na tabela, agora com 11 pontos, alcançando o adversário que superou ontem.

O time santista começou o jogo timidamente, reflexo da ausência de seus principais jogadores, Neymar, Paulo Henrique Ganso e Elano, na seleção brasileira, além de Edu Dracena (contundido), Léo (sinusite) e Alex Sandro (na seleção sub-20).

O que o técnico Muricy Ramalho colocou em campo era o melhor que podia oferecer à exigente torcida santista: "Tive de mudar o time na última hora. Agora vamos esperar passar essa fase para juntar o time de novo".

Mas os torcedores não tiveram do que reclamar na primeira etapa. Apesar de os primeiros minutos prenunciarem um jogo de baixo nível técnico, não faltou esforço nem correria. E disposição ofensiva. Aos 23 minutos, Danilo fez boa jogada individual pelo meio e acertou um forte chute no canto alto esquerdo, abrindo a contagem.

Só aí que o Atlético-MG acordou. Ao sair da letargia, chegou ao empate, aos 26. Em um lance infantil, Bruno Rodrigo derrubou Magno Alves na área: Jônatas Obina cobrou o pênalti e marcou. A equipe mineira se empolgou e quase virou em uma tabela entre Magno Alves e Daniel Carvalho: Rafael fez boa defesa.

Mas, quando o Atlético dominava o jogo, quem vacilou foi a defesa mineira: Réver derrubou Bruno Aguiar na área; Borges cobrou o pênalti e fez seu quarto gol no Brasileiro. "Foi bom marcar de novo. Agora vamos respirar e depois garantir o resultado", disse o atacante.

O segundo tempo começou com a entrada de Tiago Alves no lugar do inoperante atacante Diogo. Os primeiros minutos decepcionaram quem gosta de futebol: só se viu um festival de chutões sem direção.

A única emoção foi um quase gol contra de Durval em um cruzamento. Para tentar dinamizar seu ataque, o técnico Dorival Júnior fez duas substituições. Mas o Santos soube suportar a pressão e garantir o bom resultado.

Outros jogos. O Coritiba venceu o Fluminense por 3 a 1, o Vasco virou sobre o Atlético-PR por 2 a 1 e o Atlético-GO perdeu em casa do Avaí por 1 a 0. Hoje jogam Cruzeiro x Bahia e Ceará x América-MG.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.