Santos sem seu principal jogador

Sob pressão, equipe tenta esquecer ausência de Ganso contra o Santo André

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

13 de setembro de 2009 | 00h00

Enfraquecido, mudado e sob pressão, o Santos recebe o Santo André, às 16 horas, na Vila Belmiro, e precisa da vitória para voltar a pensar em Libertadores. No momento em que os próprios jogadores reconhecem que já erraram demais no Brasileiro e de agora em diante é proibido perder, o time fica sem seu principal jogador, Paulo Henrique Ganso. Titular absoluto desde a primeira rodada, o meia está na seleção sub-20.

A tendência é de que Vanderlei Luxemburgo mantenha a formação com três volantes - Emerson, Germano e Rodrigo Souto - e Neymar volte para atuar ao lado de Kléber Pereira.

"Sabemos da nossa capacidade, mas vamos precisar ter cuidado porque um jogo como esse, contra adversário que está atrás, costuma ser mais perigoso", avisou George Lucas. "Temos conseguido fazer o mais difícil, que é sair na frente do placar. Mas falta sabedoria e inteligência para controlar o jogo. O certo é fazer com que o adversário corra mais e se desgaste."

Ao ser anunciado como novo reforço, George Lucas causou desconfiança, porque atuou durante três temporadas na Segunda Divisão da Espanha, pelo Celta de Vigo, sem jamais ter despertado o interesse de um clube de ponta. E, também, por estar fazendo o caminho inverso ao que todo jogador projeta, trocando o futebol da Europa pelo brasileiro, com apenas 25 anos de idade. Mas, depois do sexto jogo como titular e a assistência para o gol de Eli Sabiá, diante do Corinthians, é visto como nova arma de Luxemburgo.

Outro jogador que poderá ser importante para o time a partir de hoje é Emerson. O ex-volante da seleção está perto de atingir a forma ideal. Luxemburgo reserva para ele um papel especial: ser o técnico dentro de campo, orientando a colocação dos jogadores de marcação e cobrando mais empenho do time. "Temos de esquecer o que passou e olharmos para frente. Ainda vamos disputar muitos jogos (15) e acho que dá para classificar para a Libertadores, temos de pensar grande e reagir", declarou o volante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.