Santos tenta a 2ª vitória seguida

Na Vila Belmiro, time enfrenta o Fluminense, em jogo adiado da 8ª rodada, e conta com o retorno de Danilo

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2011 | 00h00

Com o retorno de Danilo e apoio da torcida, o Santos tenta chegar, pela primeira vez, à segunda vitória seguida no Campeonato Brasileiro, hoje, às 20h30, na Vila Belmiro, contra o Fluminense. O jogo será pela 8.ª rodada e foi adiado por causa da Libertadores.

Com a vitória de 2 a 1 contra o Bahia, domingo, em Salvador, a primeira como visitante, os santistas recuperaram a confiança e voltaram a acreditar na possibilidade de conquistar o terceiro título no ano. A equipe saiu da zona de rebaixamento e tem, como meta, somar duas vitórias em casa - a primeira hoje e, a próxima, contra o São Paulo, no domingo -, para entrar no grupo intermediário da tabela.

No treino de ontem à tarde, Muricy Ramalho escalou Danilo na lateral-direita e manteve Henrique como segundo volante ao lado de Arouca, com Elano e Paulo Henrique Ganso nas meias.

No seu último jogo antes de ir para a seleção sub-20, Adriano foi volante e o Santos ganhou do Atlético-MG por 2 a 1 (a última vitória do time na Vila). E foi do garoto o primeiro gol.

"Sempre falei que queria continuar no meio mas, chegando à seleção, fui para lateral. Agora decidi que não vou me rotular. Prefiro falar que vou jogar pelo Santos. Muitas vezes falo que vou ser lateral, mas na hora muda", disse Danilo.

O jogador espera confirmar a fama de pé quente, por ter conquistado todas as competições que disputou com o Santos e com a seleção sub-20 nesta temporada. "Assim ajudo o Santos com a minha estrela, pois este ano pode marcar muito a carreira de todos nós".

Com a decisão da CBF de mandar a seleção sub-20 para a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, de 14 a 30 de outubro, Danilo poderá ficar fora de vários jogos do segundo turno do Campeonato Brasileiro.

Apesar de reconhecer que deve ao Santos boa parte de seu sucesso, ele já decidiu que se voltar a ser chamado pela seleção sub-20, não pedirá dispensa. "Vestir a camisa da seleção está sempre em primeiro lugar para mim. Além disso, o Santos tem muito poder na CBF e se tentar a liberação poderá ser atendido, embora Mano (Menezes) e Ney (Franco) não abram mão do planejamento para a Olimpíada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.