Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Santos vê conspiração do Corinthians para prejudicar time na Libertadores

Convocação de Neymar e Rafael para a seleção é estratégia maquiavélica de Andrés Sanchez e Mano, acusa Luis Alvaro

SANCHES FILHO / SANTOS, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2012 | 03h06

SANTOS - Neymar vai ter de descansar e se alimentar bem nos próximos dias para voltar a ser o melhor jogador do Brasil e ter condições de fazer a diferença contra o Corinthians no segundo jogo das semifinais na Libertadores, quarta-feira, no Pacaembu. Nada de festinhas, passeio de iate e compromissos. O presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, defende o descanso do craque e atribui a derrota para o Corinthians à uma estratégia maquiavélica armada pelos corintianos Andrés Sanches, diretor de seleções, e Mano Menezes, técnico da seleção brasileira.

Luis Alvaro afirmou que o astro santista perdeu peso e massa muscular e voltou esgotado fisicamente depois de ter disputado os três amistosos do Brasil nos Estados Unidos, em condições adversas. Para ele a convocação de Neymar e Rafael (Ganso não se apresentou porque fez uma artroscopia) minou o Santos e ajudou o Corinthians nas semifinais da Libertadores. "Neymar voltou dos amistosos da seleção abaixo do peso, com menos massa muscular e nervoso, tanto que diante do Corinthians se envolveu em disputas duras de bola que não são normais da parte dele", queixou-se Luis Alvaro.

O seu argumento é que enquanto o Santos teve três jogadores convocados, do Corinthians, que tem a melhor defesa do futebol brasileiro e é o atual campeão nacional, ninguém foi chamado por Mano Menezes.

O presidente santista diz que só depois de ouvir Tite afirmar que o segredo do Corinthians para derrotar o Santos foi treinar, treinar e treinar começou a juntar os pontos do quebra-cabeças e a suspeitar da manobra conspiratória. "Aí a ficha começou a cair para mim. Fui aos Estados Unidos e assisti ao jogo contra a Argentina. Neymar jogou contra o jogador (Messi) com quem disputa a condição de melhor do mundo e, como não foi bem, ficou abatido. Além disso, ele não pôde treinar coletivamente com os companheiros."

SEM PROTESTO

Apesar da suspeita, Luis Alvaro se esforça para convencer que a sua teoria da conspiração não seria apenas para desviar a atenção da derrota santista em plena Vila Belmiro. O resultado acabou com a invencibilidade de 14 jogos na Vila desde outubro do ano passado.

A sua intenção não é formalizar um protesto, mas apenas ponderar (provavelmente em conversa com o presidente da CBF, José Maria Marin) e pedir tratamento igual para todos os filiados da entidade.

Ele questiona a não convocação de Leandro Castán, Emerson e Paulinho. Logo que saiu a lista de Mano, o presidente santista ligou para Andrés Sanchez e pediu a dispensa dos três santistas, sob a alegação de que o Santos estava em meio à disputa das finais do Paulistão (jogou completo nos dois jogos contra o Guarani) e das quartas de final na Libertadores.

O dirigente santista até argumentou que Neymar já é o melhor do continente e não teria mais nada a provar na seleção, mas não foi atendido. E só agora ele começa a descobrir o que poderia estar por trás da negativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.