São Paulo assume o favoritismo

Time respeita a Lusa, mas está confiante para o jogo na Arena Barueri, onde já viveu momentos empolgantes neste ano

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2011 | 00h00

A liderança na primeira fase do Estadual, após 19 partidas, de nada adiantou para o São Paulo, que pega a Portuguesa fora do Morumbi hoje, às 16 horas, pelas quartas de final. O consolo para a torcida tricolor é que o jogo será na Arena Barueri, onde o time de Carpegiani não tem decepcionado: o estádio foi palco dos momentos mais empolgantes do São Paulo na temporada.

Foi em Barueri que Rogério Ceni fez o centésimo gol em cima do Corinthians, Lucas fez fila e marcou um golaço sobre o Mirassol e a equipe mostrou raça para reverter o sufoco contra o Santa Cruz pela Copa do Brasil. "Barueri é a nossa segunda casa, já há uma conscientização (do grupo) em relação a isso", diz o técnico Paulo César Carpegiani.

Na verdade, o time não teve opção: após três shows da banda irlandesa U2, a diretoria decidiu poupar o gramado do Morumbi para quarta-feira, quando o time enfrenta o Goiás, pela partida de volta da Copa do Brasil.

A chegada do camisa 9, por sinal, é a aposta para encerrar a sina do ataque são-paulino de perder gols. No jogo de ida contra o Goiás, em Goiânia, o time de Carpegiani abusou das chances desperdiçadas e deixou de aplicar uma goleada na casa do rival, que facilitaria em muito o trabalho para a partida de volta - com um a mais desde o início, o São Paulo venceu só por 1 a 0.

Hoje, contra a Portuguesa, a ordem é acertar a pontaria. "Algumas vezes não tivemos eficiência, temos de ter esta preocupação", afirma Carpegiani. "No último jogo, poderíamos ter feito mais, pois tínhamos o jogo sobre controle." O ataque deve ser formado novamente por Marlos e Dagoberto e a dúvida é a entrada de Ilsinho, que perdeu duas chances incríveis no Serra Dourada, frente a frente com Harlei.

A dúvida de Carpegiani está entre Ilsinho e Rodrigo Souto, opção válida no caso de o treinador optar por um esquema mais defensivo. Sem Alex Silva, vetado após sentir dores no joelho, e o reserva Xandão, suspenso, a formação com três zagueiros foi por água abaixo. "Teremos uma diferença, pois dois que poderiam compor o trio de defesa estão fora", disse Carpegiani, que fez mistério nos últimos treinos.

Pedra no sapato. Classificada na bacia das almas, a Portuguesa fez campeonato sem brilho na primeira fase e perdeu todos os clássicos - levou 3 a 2 do São Paulo no Canindé. O Tricolor, porém, teve dificuldade em jogos recentes contra a Lusa e quer evitar surpresas, como a derrota por 3 a 1 para o rival de hoje em pleno Morumbi na estreia do Estadual no ano passado. Carpegiani não refuta o status de favorito, mas pede cautela. "Não vou ser demagogo, mas aceito (o favoritismo) com humildade. A vitória se define dentro do jogo e a decisão é domingo (hoje). Não teremos outra chance."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.