São Paulo com carga pesada

Time tem de bater o Sertãozinho e deve optar por ataque reforçado, com Dagoberto, Borges e Adriano

Giuliano Villa Nova, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2008 | 00h00

Se não derrotar o Sertãozinho, às 21h45, no Morumbi, o São Paulo corre o risco de assistir às semifinais do Paulista pela televisão. Para evitar o que os próprios jogadores definem como decepção, o time do técnico Muricy Ramalho será ousado e deve atuar com três atacantes, Dagoberto, Borges e Adriano. Acompanhe online a partida''Ainda temos chances e vamos buscar a vaga'', comenta Muricy. ''Como ninguém está jogando um grande futebol, também podemos lutar pelo título.''Além de bater o Sertãozinho, o São Paulo ainda precisará derrotar o Bragantino, em Bragança Paulista, e o Juventus, em casa, para garantir-se entre os quatro melhores. ''Teoricamente, temos jogos menos difíceis do que nossos adversários, mas precisamos vencer'', alerta o zagueiro Miranda, que formará o trio defensivo com André Dias e Juninho, livre de suspensão.Adriano também volta e será o principal reforço do ataque, que deve ter Dagoberto numa função um pouco diferente: além de aparecer à frente, para tabelar, terá de ajudar na armação. ''Já fiz essa função antes e não devo ter problema'', observa. ''Será bom ajudar a trabalhar as jogadas, pois estamos pecando muito nos passes.''DESFALQUESCom Hernanes e Richarlyson na seleção (atuaram ontem, diante da Suécia, em Londres), Fábio Santos e Zé Luís formarão a dupla de volantes. Muricy admite que Fábio Santos ainda não recuperou o ritmo, após superar uma lesão que o tirou de ação por duas semanas, mas nem pensa em poupá-lo. ''Neste momento, não posso escolher quem está 100%'', diz o treinador. ''É uma decisão e o jogador tem de ir como for possível.''PRIVACIDADEMuricy orientou treino com portões fechados. Longe de olhares curiosos, procurou acertar o posicionamento dos jogadores. E também comandou um treinamento de arremates, já que a média de gols tem caído: nas últimas cinco partidas, o time balançou as redes adversárias cinco vezes. ''Não estamos conseguindo criar muitas chances de gol. Isso não é normal no nosso time'', alerta Rogério Ceni.Ainda pela 17ª rodada, o Guaratinguetá enfrenta o Mirassol, fora de casa, e tenta mostrar que é a principal novidade do Estadual deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.