São Paulo conquista empate heroico

Depois de estar perdendo por 2 a 0, com 2 gols de Loco Abreu, time chega ao empate no último minuto, com um gol de Rivaldo

BRUNO LOUSADA / RIO , O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2011 | 03h03

Há empates que deixam sensação de vitória. O São Paulo sabe disso. Ontem, perdia para o Botafogo por 2 a 0 até os 20 minutos do segundo tempo e não desistiu. Foi buscar a igualdade com muita garra. Embora o resultado do jogo (2 a 2) no Engenhão, pelas circunstâncias, não tenha sido ruim, a equipe paulista caiu para a 3.ª posição do Brasileiro, agora com 46 pontos, três a menos que o líder Vasco. Já o Alvinegro carioca está em 4.º, com 45.

A liderança estava em disputa numa partida entre o melhor visitante e o melhor mandante deste Brasileiro. Havia clima de decisão, mas, apesar da relevância do clássico, as arquibancadas atrás das balizas estavam vazias. Não por culpa dos torcedores. Devido ao show do cantor Justin Bieber, em 5 e 6 de outubro, o local foi interditado, o que reduziu a capacidade do estádio. Mesmo assim, o público de 22.348 pagantes foi abaixo da expectativa.

O São Paulo veio ao Rio com desfalques importantes: o volante Casemiro estava suspenso, o atacante Dagoberto, machucado, e o zagueiro João Filipe, proibido de atuar por causa de cláusula contratual, pois é emprestado pelo time carioca.

Aproveitando-se da ausência dos três atletas, o Botafogo foi superior no primeiro tempo e fez por merecer o placar de 2 a 0. O primeiro gol veio num lance individual. O meia Maicosuel passou como quis pelos volantes Denílson e Wellington, invadiu a área e deu passe preciso para o Loco Abreu balançar as redes.

Até o intervalo, o São Paulo simplesmente se esqueceu de jogar futebol e ainda sofreu o segundo gol. Depois de bela defesa de Rogério Ceni em chute de Loco Abreu, a bola sobrou para o volante Renato, derrubado por Wellington na área. O atacante uruguaio, com a habitual categoria, cobrou o pênalti com perfeição.

O São Paulo voltou para o segundo tempo com uma modificação: Rivaldo no lugar de Juan. Como o futebol é curioso, o Botafogo teve a chance de liquidar a fatura, mas Loco Abreu, sozinho na pequena área, conseguiu chutar a bola para fora. A partir daí, o São Paulo acordou, passou a pressionar e diminuiu a vantagem alvinegra aos 20 minutos. Cícero arriscou de fora da área, Renan deu rebote e o atacante Henrique, que acabara de entrar no lugar de Marlos, não perdoou. Logo em seguida, Wellington acertou a trave.

O São Paulo continuou sufocando e igualou o placar aos 46 minutos, gol de cabeça de Rivaldo, após cobrança de falta de Rogério Ceni. Depois, acredite se quiser, Rivaldo poderia ter virado, mas pecou na finalização.

BOTAFOGO 2

SÃO PAULO 2

Gols: Loco Abreu aos 24 e aos 40 minutos do primeiro tempo. Henrique aos 20 e Rivaldo aos 46 do segundo.

BOTAFOGO (4-4-2): Renan; Lucas; Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos. Renato; Maicosuel (Felipe Menezes) e Elkeson; Herrera (Cidinho) e Loco Abreu (Lucas Zen).

Técnico: Caio Júnior.

SÃO PAULO (4-4-2): Rogério Ceni; Piris (Jean), Xandão, Rhodolfo e Juan (Rivaldo); Denilson, Wellington, Carlinhos Paraíba e Cícero; Lucas e Marlos (Henrique). Técnico: Adilson Batista.

Juiz: Sandro Meira Ricci (DF).

Cartão amarelo: Juan, Wellington e Piris.

Renda: R$ 605.010,00

Público: 22.348 pagantes.

Local: Engenhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.