Felipe Gabriel/Agencia Lance
Felipe Gabriel/Agencia Lance

São Paulo contrata dois netos de Pelé

Octavio, 12 anos, e Gabriel, 10, chegam ao Tricolor em julho. Acerto vale até cada um completar 16 anos

WAGNER VILARON, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2011 | 00h00

O sangue é azul, mas a camisa será tricolor. Netos do Rei Pelé, Octavio Felinto Neto, de 12 anos, e Gabriel Arantes do Nascimento, de 10, vão jogar nas divisões de base do São Paulo. O acerto foi feito nesta quinta-feira pelo empresário Wagner Ribeiro, que passou a cuidar do agenciamento de carreira da dupla. Os dois moram em Curitiba, onde jogam pelo Panará Clube, e a mudança para a capital paulista ocorrerá no meio do ano, durante as férias escolares.

Otavio e Gabriel são filhos de Sandra Regina Arantes do Nascimento Felinto, reconhecida como filha de Pelé em 1996 depois de intensa batalha judicial que resultou em exame de DNA. Sandra morreu em 2006, vítima de câncer de mama, sem nunca ter conseguido manter boa relação com o pai. Os meninos, por sua vez, encontraram o avô em apenas uma oportunidade.

O pai, Ozéas, casou-se novamente e foi viver em Curitiba. Lá, os meninos foram matriculados na escolinha de futebol do Paraná.

Além de propiciar o primeiro contato com o esporte que marca a história de toda a família, os responsáveis pelas crianças queriam tirá-las do oba-oba dos grandes centros e da atenção da opinião pública. "No começo não gostava muito da ideia de mudar de cidade, mas quando soube que era para o São Paulo, fiquei mais tranquilo", afirmou o pai.

Holofotes. Atualmente, a notoriedade já faz parte da rotina de ambos. Octavio, por exemplo, não tem chamado atenção apenas por causa do avô famoso. Recentemente, um vídeo postado na internet teve grande repercussão. Nele, o atleta mirim faz um golaço, com direito a chapéu no adversário. "O fato de serem netos do Pelé não representará privilégio algum. Eles vão mudar para São Paulo no meio do ano para não interferir nos estudos", explicou Ribeiro.

O contrato assinado nesta quinta-feira vai até o dia em que cada um dos garotos completar 16 anos. Octavio e Gabriel reconhecem que são santistas, até pela influência de Pelé, mas tratam numa boa o fato de vestirem a camisa de um rival. "Desde que seja um time bom, para mim está ótimo. Não precisava ser o Santos, tenho de pensar na minha carreira", afirmou Octavio ao globoesporte.com. "Vai ser bem melhor estar em um clube que acompanhe a gente diariamente, tenha nutricionista. Estou preparado para essa mudança porque é o futuro que eu escolhi."

Veja também:

linkFernandinho sofre fratura e pode ficar até 6 semanas fora dos gramados

linkSão Paulo decide em casa nas oitavas da Copa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.