São Paulo dá recado e faz promessas

Governador e prefeito vão de trem a Itaquera para mostrar que transporte é eficiente; obras devem ser entregues em 2013

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2011 | 00h00

A festa paulista para marcar os mil dias que faltam para a Copa de 2014 teve, ontem, recados para as outras sedes, promessas, homenagens a jogadores campeões do mundo e afagos à região de Itaquera - onde está sendo construída a arena do Corinthians. A maior estrela do evento, porém, não usava terno e gravata: Ronaldo garantiu a empolgação de quem presenciou a entrada em operação, no terreno do estádio, do relógio que fará a contagem regressiva para o início do Mundial.

A inauguração do relógio encerrou evento que começou com uma manobra bem calculada. O governador Geraldo Alckmin, o prefeito Gilberto Kassab, Ronaldo, membros do comitê paulista da Copa, dezenas de convidados e outras tantas de jornalistas, foram de trem da estação da Luz a Itaquera, viagem que teve início às 10h32 e durou 19 minutos (estimava-se 23).

O objetivo da viagem no "Expresso da Copa"" foi mostrar a quem critica São Paulo por não ter dado a largada nas obras de mobilidade urbana que muita coisa já está pronta. Ir ao estádio, por essa tese, não será problema. "Levamos 19 minutos porque paramos no Brás e no Tatuapé. Uma viagem direta levará 16, 17 minutos"", discursou Alckmin. "A Fifa recomenda que 50 mil passageiros/hora sejam transportados até os estádios (por transporte público). Temos, hoje, condições de colocar 120 mil pessoas/hora: 80 mil por metrô e 40 mil por trem.""

O expresso teve os dois primeiros vagões reservados para as autoridades. Os outros transportaram, até Guaianases, "passageiros comuns"". E foi possível observar que estavam lotados.

Alckmin prometeu que o problema de superlotação estará resolvido até 2013, com a redução do intervalo dos trens de 5 para 3 minutos e do metrô para 1min22s. Para isso, estão sendo adquiridos 72 trens para a CPTM e 43 para o metrô. Os primeiros começam a chegar, e a operar, em outubro, disse o governador.

Obras viárias. As cinco intervenções viárias na região (leia arte) já tiveram o projeto básico concluído e deverão ser licitadas em outubro. Alckmin garantiu que todas estarão prontas em 2013. Serão investidos R$ 478,2 milhões.

A região de Itaquera também deverá ter, até a Copa, fórum, rodoviária, Etec e Fatec. O legado prometido mexeu com Ronaldo. "Esse é um dia especial para mim. O estádio do Corinthians vai trazer um legado muito importante para a região de Itaquera"", definiu o Fenômeno, membro de honra do Comitê Paulista.

O prefeito Kassab também aproveitou para afagar Itaquera. "Faltam mil dias para que nós tenhamos aqui, nesse local, o jogo de abertura da Copa, e para que milhões de pessoas no mundo todo conheçam Itaquera por meio das imagens que serão geradas daqui"", caprichou. "Mais importante que o estádio é o legado para a zona leste"", aproveitou o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez.

Os campeões do mundo Ronaldo, Rivellino, Vampeta, Leão, Paulo Sérgio, Coutinho, Zico e Pepe receberam medalhas.

Um balão com o logotipo da Copa também seria levado ao ar em Itaquera. O vento forte impediu. O balão subiu, horas depois, no Ibirapuera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.