São Paulo define até onde pode chegar

Equipe tem três duelos decisivos pela frente. Primeiro é contra o Botafogo, hoje, no Engenhão

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2010 | 00h00

O São Paulo tem pela frente uma sequência de jogos complicada. Começa com o Botafogo, às 16 horas, no Engenhão, depois tem o Internacional, no Morumbi, e termina com o clássico diante do Palmeiras, no Pacaembu. São partidas que, segundo o próprio elenco tricolor, vão definir o que este time pode ambicionar no Campeonato Brasileiro.

"Por enquanto, nosso pensamento é brigar por uma das vagas na Taça Libertadores. Mas estes próximos três jogos vão nos dizer se podemos também sonhar com o título", explicou o capitão Rogério Ceni. "São dois confrontos diretos (contra Botafogo e Internacional) e um clássico. Se conseguirmos vitórias, teremos certeza de que estamos no caminho certo e saberemos pelo que lutar na competição."

Os companheiros de Rogério concordam. "É importante galgar posições passo a passo. O trabalho do (Sérgio) Baresi já está colhendo frutos, conseguimos nossas primeiras vitórias. Espero que depois destes próximos três jogos a gente esteja bem firme no G-4", afirmou Richarlyson, que hoje deve voltar a atuar na lateral-esquerda.

Após três vitórias consecutivas - já são cinco jogos de invencibilidade -, a torcida começou a acreditar de novo na equipe. Gritos de "o campeão voltou" já puderam ser ouvidos no último jogo no do Morumbi (vitória por 2 a 0 sobre o Flamengo). Mas os jogadores tentam manter a cautela, conter a euforia. Ainda falta um triunfo fora de casa contra um concorrente direto por vaga na Libertadores para dar confiança de vez ao elenco.

"O torcedor tem todo o direito de se empolgar e comemorar as últimas vitórias", ponderou Richarlyson. "Mas falta muita coisa ainda. Precisamos melhorar bastante. Por enquanto, ainda é exagero achar que podemos pensar no título brasileiro."

Defesa reserva. Fé no novo xodó. O técnico Sérgio Baresi não poderá contar outra vez com os lesionados Ricardo Oliveira (tendinite no joelho esquerdo) e Alex Silva (recupera-se de artroscopia no joelho direito). Também perdeu Miranda, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Assim, terá de confiar a tarefa de não sofrer gols no Rio à defesa reserva. Provavelmente, o companheiro de Xandão será Samuel, já que Renato Silva tem falhado muito e arriscado demais os resultados do time tricolor.

Com Baresi, as promessas ganharam espaço e Casemiro volta depois de cumprir suspensão. Cléber Santana vai para o banco. Dagoberto tem boas chances de ser titular, mas a maior confiança da torcida estará nos dribles de Marcelinho. "Gosto de partir para cima", disse o jovem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.