São Paulo é mesmo a inspiração

Felipe Massa lembra a recuperação da equipe tricolor no Brasileiro para ganhar energia extra em busca do título

Almir Leite e Milton Pazzi Jr., O Estadao de S.Paulo

31 de outubro de 2008 | 00h00

Felipe Massa resolveu mesmo fazer do São Paulo sua fonte de inspiração e energia extra para brigar pelo título da Fórmula 1. Ontem, se valeu do fato de o time do Morumbi ter alcançado o Grêmio no Brasileiro (estão iguais em pontos, mas os gaúchos lideram por terem uma vitória a mais) para falar das próprias chances de ser campeão."Viu? Eu disse que estava mais fácil para o São Paulo e eles conseguiram. Quem sabe, eu também não consiga?", disse ontem pela manhã ao Estado, após mais uma entrevista coletiva, por conta de compromissos com patrocinadores. No futebol, há algumas rodadas do Brasileiro o São Paulo estava 11 pontos atrás do Grêmio. Agora, na reta final, ambos estão empatados, com 59 pontos.Massa tem demonstrado impressionante tranqüilidade para quem está a poucas horas de brigar por seu primeiro título mundial, e ainda por cima em casa, o que seria inédito para um brasileiro na história da F-1 - Emerson Fittipaldi, duas vezes; Nelson Piquet e Ayrton Senna, três vezes cada, foram campeões longe do Brasil. E se mostra confiante: "Estou 100% otimista."É obvio que Massa tem de acreditar em suas possibilidades, mas sua situação está longe de ser confortável. Por estar sete pontos atrás de Lewis Hamilton, sabe que de nada adiantará fazer a melhor corrida de sua vida no domingo se o inglês chegar até a quinta posição.Nem mesmo o companheiro do brasileiro, o atual campeão mundial Kimi Raikkonen, compartilha de tanto otimismo. "Massa vai precisar de muita sorte para ser campeão", disse o finlandês. E olha que a declaração é de alguém que, no ano passado, chegou a Interlagos em terceiro lugar no campeonato precisando, portanto, da vitória e de uma boa dose de sorte, e acabou abocanhando o título.Talvez a tranqüilidade atual de Massa venha justamente do fato de ele ter consciência de que suas chances não são muito grandes. Mas é fato que, este ano, ele se mostrou mais maduro e seguro, o que certamente contribuiu para que, apesar de alguns equívocos seus e de outros tantos da Ferrari, pudesse chegar à última etapa disputando o troféu de campeão.Massa garante que não tem nada planejado caso venha a conquistar o título, algo difícil de acreditar. "Festa? Não sei de nada, só me preocupo com a corrida", disse. "Mesmo porque festa não é problema, a gente arruma uma em cinco minutos", falou o irmão Dudu.O ferrarista voltou a recorrer ao futebol ao ser perguntado sobre o que acha de os brasileiros "pedirem" a outros pilotos que batam em Hamilton, para tirar o inglês do GP do Brasil e assim favorecê-lo - tem até blog no Youtube pedindo a Rubens Barrichello que estrague a corrida do inglês e se torne herói nacional. "Faz parte do espírito do torcedor esse negócio de sacanear os outros. É como no futebol, que gostam de sacanear o juiz." ACELERADASTitônio Massa, pai de Felipe Massa, passou o dia de ontem em um hospital em São Paulo. Nos últimos tempos, ele vinha sentindo fortes dores renais e internou-se para a retirada de pedras nos rins, por meio de uma videolaparoscopia. O movimento de cambistas diminuiu ontem em relação ao dia anterior, em Interlagos. Motivo: até mesmo nas mãos deles já são raros os ingressos para os treinos e a corrida do GP do Brasil. Nas bilheterias, porém, no final da tarde de ontem ainda havia ingressos para os treinos de hoje. O ex-piloto Martin Blundle aponta Lewis Hamilton como favorito ao título. O inglês, atualmente comentarista de TV, porém, tem opinião diferente quando o assunto é o melhor piloto da F-1: Fernando Alonso, aponta, sem pestanejar. O australiano Mark Webber quebrou o silêncio dos pilotos em relação à proposta do presidente da FIA, Max Mosley, de instituir um motor padrão na F-1 a partir de 2010: "Conheci e sempre assisti à Fórmula 1 como símbolo de competitividade. Espero que continue assim. O motor único será decepcionante."Lewis Hamilton participou de evento de seu patrocinador, na noite de ontem, num restaurante da capital, onde recebeu jornalistas e passou apuros com brincadeiras de humoristas de televisão. Em campanha de uma marca de uísque, ele também levou de táxi um casal por um quarteirão na região do Brooklin.Poderia Rubens Barrichello ajudar Felipe Massa, de alguma maneira, a conquistar o Mundial? O piloto da Honda acha que isso é impossível. E inverte a questão. "Acho que ele é que poderia me ajudar", disse o brasileiro, durante a coletiva de imprensa. "Talvez ele poderia me passar um pouco da potência de seu carro ou algo do tipo", completou Rubinho, causando risadas entre jornalistas e do próprio Felipe Massa.O GP do Canadá pode voltar hoje ao calendário da Fórmula 1. A prova de Montreal foi excluída da competição para 2009 por falta de garantias financeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.