São Paulo encara retranca chilena

Muricy pede paciência ao time para superar o Audax Italiano, de lembrança não tão boa, hoje, no Morumbi

Giuliano Villa Nova, O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2008 | 00h00

A paciência será a principal arma do São Paulo para derrotar o Audax Italiano, do Chile, às 21h50, no Morumbi, na segunda rodada do Grupo 7 da Libertadores. O rival deu muito trabalho para o time de Muricy Ramalho no ano passado - especialmente no empate por 2 a 2, no segundo duelo, no Morumbi - e o treinador não quer ver os mesmos erros em campo. Acompanhe todos os lances do jogo''''Precisamos ter calma, porque o Audax marca muito forte, atua bem fechado, com duas linhas de quatro jogadores. Teremos de usar muito as laterais para furar esse bloqueio'''', comenta Muricy. ''''No ano passado, conseguimos fazer um gol, mas não tivemos tranqüilidade para controlar o placar, demos espaços e sofremos dois'''', lembra o treinador, que terá a volta de Richarlyson e Fábio Santos, que estavam suspensos. ''''O time do Audax é bem parecido com o de 2007 e podemos tirar lições daqueles confrontos.''''Além de ser o primeiro jogo em casa no torneio continental, um resultado positivo terá mais do que bom efeito psicológico ao São Paulo. Se ganhar, o time assume a liderança da chave - irá a 4 pontos, um a mais do que o Sportivo Luqueño, do Paraguai, que amanhã visita o Nacional, na Colômbia. E os são-paulinos estão conscientes da importância de bater o Audax, já que na rodada seguinte (dia 20) pegam o Luqueño em Assunção.Para que os jogadores mentalizem bem o que têm de fazer em campo, Muricy comandou um treino tático de aproximadamente uma hora, ontem à tarde, no Morumbi - boa parte dele com portões fechados para a imprensa. Apesar de não antecipar a escalação, praticamente confirmou o esquema tático que utilizou em Medellín, na estréia da Libertadores (1 a 1 com o Nacional), com quatro jogadores no meio. O meia-atacante Éder Luís atuará ao lado de Jorge Wagner, fazendo a aproximação com os atacantes. ''''Ele (Éder) precisa de proteção para poder avançar, e a volta do Fábio Santos será importante para isso'''', diz Muricy. ''''Mesmo que entremos com três zagueiros, podemos mudar nossa formação dentro do jogo, só mexendo no posicionamento'''', ressalta o zagueiro Miranda.INGRESSOSOs dirigentes esperam cerca de 30 mil torcedores esta noite no Morumbi. Até ontem, 17.417 ingressos haviam sido vendidos, da carga total de 67.715. As entradas continuam sendo comercializadas hoje, com preços entre R$ 15 (sócio-torcedor) e R$ 70 (cadeiras cativas). Arquibancada custa R$ 30. Os bilhetes podem ser encontrados no Morumbi, Pacaembu, Canindé, Ginásio do Ibirapuera, Estádio Bruno José Daniel (em Santo André) e pelo site www.ingresofacil.com.br.ENIGMA CHILENOO Audax Italiano acumula uma seqüência de maus resultados e tenta se recuperar diante do São Paulo. A esperança dos chilenos, que caíram em casa no duelo com o Sportivo Luqueño por 2 a 1, se baseia em seu retrospecto contra o adversário de hoje. Justamente nos empates do ano passado, lembrados por Muricy Ramalho.O técnico Raúl Toro não esconde que sua maior preocupação é Adriano - que terá marcação especial hoje. Mesmo que não esteja em sua melhor forma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.