São Paulo espera 50 mil por Ganso

Tricolor convoca a torcida para lotar o Morumbi na apresentação do seu novo maestro, hoje, meia hora antes do jogo importante diante do Cruzeiro

FERNANDO FARO, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h09

Quem for ao Morumbi hoje poderá não apenas empurrar o São Paulo contra o Cruzeiro, às 16 horas, para fazer a equipe se aproximar do G-4. Meia hora antes da bola rolar, Paulo Henrique Ganso entrará no gramado para saudar seus novos torcedores e dará início, ainda que não em campo (recupera-se de lesão na coxa), ao que todos esperam ser uma nova era vencedora.

Contratado do Santos por R$ 23,9 milhões, valor mais alto entre clubes brasileiros, o meia desembarca com a missão de reencontrar o futebol que encantou o Brasil em 2009 e 2010 e, com isso, levar o Tricolor de volta às conquistas, que secaram desde o hexa nacional, em 2008.

Ganso tem recebido tratamento de popstar desde que assinou contrato, na madrugada da sexta-feira. Cada passo tem sido monitorado pela imprensa e pelo site oficial do Tricolor de modo a saciar a curiosidade dos fãs.

A festa armada para sua apresentação não terá a grandiosidade da preparada para Luis Fabiano, mas o departamento de comunicação trabalhou para encher o Morumbi e ovacionar seu novo craque. "Ele merece casa cheia para recepcioná-lo. Convoco a todos os torcedores para dar ao Ganso uma recepção à altura da sua vontade de vir para o São Paulo", convocou o diretor de futebol Adalberto Baptista. Pouco mais de 60 mil ingressos foram colocados à venda.

As primeiras declarações já o fizeram cair nas graças dos são-paulinos, que acompanharam com angústia a complexa negociação. "O que mais pesou foi o histórico do clube, com sua história de grandeza, conquistas e ídolos. Muitas pessoas conversaram comigo, como o Pita (ex-meia de São Paulo e Santos), que mostrou como foi importante o São Paulo na carreira dele", afirmou tão logo concluiu a negociação. Prova da confiança da diretoria foi a entrega da camisa 8 ao meia, número usado por Kaká, um de seus ídolos.

Se os torcedores estão eufóricos com a chegada do "maestro" (como já está sendo chamado), seus novos companheiros enxergam nele uma peça fundamental para fortalecer a equipe.

"O Ganso acrescenta muito. Temos o Jadson, mas é bom contar com um jogador da qualidade do Ganso. Ele tem um ótimo passe, cadencia o jogo e será muito bem-vindo. Vamos receber de braços abertos", elogiou Luis Fabiano, que deve ser um dos mais beneficiados pelos passes precisos do meia.

Ansiedade. Ao sentar na tribuna, Ganso poderá observar do alto uma equipe que conhece bem e da qual chegou a ser carrasco algumas vezes. Encontrará um time que ainda busca sua melhor formação e oscila bons e maus momentos às vezes em ritmo alucinante. Talvez por isso mesmo Ney Franco, que chegou a ligar para o meia antes mesmo do acerto para falar sobre a equipe, mal veja a hora de poder utilizá-lo na reta final do Brasileirão.

"Ele está com uma lesão pequena e está entregue ao nosso departamento médico. Vamos inscrevê-lo também na Sul-Americana. Teremos agora essa tranquilidade para desenvolver com ele o que pensei, trata-se de um dos jogadores mais talentosos da nova geração."

Chance de ver o time se aproximar da zona da Libertadores e conhecer seu novo ídolo. Bons motivos para os são-paulinos irem o Morumbi não faltam. A convocação está feita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.