Rubens Chiri/SaoPaulofc.net
Rubens Chiri/SaoPaulofc.net

São Paulo faz aposta em Rivaldo

Mesmo sem saber as reais condições do meia de 38 anos, clube resolve contratá-lo como solução para a camisa 10 e investimento em marketing

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2011 | 00h00

A especulação criou o interesse. O São Paulo, que havia negado negociação para levar Rivaldo, presidente e jogador do Mogi Mirim, para o Morumbi, mudou de ideia. Juvenal Juvêncio empolgou-se com a possibilidade de contar com o veterano meia-atacante, que passou no vestiário da equipe no domingo para cumprimentar o companheiro de Copa do Mundo de 2002 Rogério Ceni. A situação para sua ida ao clube tricolor começou a ser criada ali e pode ser concretizada a qualquer momento. "Quero ver você jogando com a gente", teria dito o goleiro para o camisa 10 da seleção pentacampeã em 2002.

O apoio de mais de 30 conselheiros do clube, reunidos na noite de anteontem para debater a candidatura à segunda reeleição do presidente, convenceu Juvenal a investir no jogador de 38 anos - que completa 39 em abril. Apenas quatro levantaram a mão em objeção ao negócio. O caminho ficou livre para a temporada de despedida de Rivaldo do futebol em um grande clube.

"Tínhamos dúvidas se seria uma contratação boa para o clube, mas o apelo da coletividade nos convenceu", contou o diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes. "Agora é uma questão de formatarmos o negócio. As primeiras conversas com o Rivaldo já ocorreram."

Pelas palavras dos dirigentes tricolores, Rivaldo agora só não atua pelo São Paulo se não quiser. O clube oferece um salário de mais de R$ 100 mil mensais até o fim da temporada e ainda propõe o empréstimo ao Mogi Mirim de jovens jogadores que não serão aproveitados agora na equipe principal.

O meia-atacante só precisa conseguir sua liberação do Bunyodkor, clube do Usbequistão em que atuou nas últimas três temporadas, que ainda não saiu. O veterano teria dinheiro a receber da equipe usbeque, que só aceita enviar a documentação caso o jogador abra mão dos valores. O entrave é até agora o que impediu Rivaldo de reestrear pelo Mogi Mirim no Paulista.

A empolgação dos conselheiros fez o departamento de marketing também entrar em ação para preparar um projeto atraente para o jogador e a torcida. "O Rivaldo já foi o melhor do mundo, pentacampeão, o seu nome tem uma ressonância internacional, é uma referência, tem uma bela imagem e trabalharemos isso, se ele vestir a camisa do São Paulo", afirmou o vice-presidente de marketing, Julio Casares. "Temos exemplos de grandes jogadores que encerraram a carreira no São Paulo com títulos, como o Zizinho e o Toninho Cerezo. De imediato já podemos projetar uma grande venda de camisas e a apresentação especial do Rivaldo à torcida."

Incógnita. O técnico Paulo César Carpegiani optou por conter um pouco a empolgação e não imagina ainda em que posição o possível reforço pode atuar. Lamenta apenas não ter conseguido vê-lo atuar nos últimos anos e não ter exata noção de suas condições físicas. "Eu tenho a preferência sempre por bons jogadores. O Rivaldo é um craque", elogiou o técnico. "Olhamos para ele e parece que está bem. É um jogador que costuma se cuidar. Então, por que não?"

UM CRAQUE

38 anos

tem Rivaldo, mesma idade de Toninho Cerezo quando foi campeão mundial em 1993

1999 foi o ano

em que Rivaldo foi escolhido o melhor jogador do mundo. Três anos depois, tornou-se campeão mundial pela seleção brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.