São Paulo joga para voltar a uma final

Contra a Universidad Católica, time pode até empatar sem gols; Morumbi deverá ter recorde de público do ano

FERNANDO FARO, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2012 | 02h04

O São Paulo precisaria apenas cumprir tabela hoje no Morumbi contra a Universidad Católica se tivesse convertido algumas das inúmeras oportunidades criadas no duelo em Santiago, mas a falta de pontaria que custou a vitória tranquila agora deixa o sinal amarelo ligado no Morumbi. É verdade que o empate por 1 a 1 no primeiro jogo dá à equipe a vantagem de poder até terminar o jogo em nova igualdade sem gols para avançar à final da Copa Sul-Americana, mas existe o temor de que o filme contra a LDU de Loja se repita e o Tricolor encontre uma equipe totalmente fechada e disposta a definir o resultado em um lance.

No jogo contra os equatorianos, nas oitavas de final, o cenário era basicamente o mesmo - o time não conseguiu jogar no Morumbi e ainda passou os minutos finais sob pressão de não levar um gol e ser eliminado. Desta vez, os atletas esperam conseguir impor a superioridade apresentada já na primeira partida e definir a vaga para a inédita decisão, mas sabem que precisarão ter calma diante de um rival que deve vir pensando apenas na defesa. "Será um jogo estudado e precisaremos ter paciência para tentar encaixar uma bola e fazer o gol. A torcida também precisará ter um pouco de paciência porque precisaremos jogar com inteligência", afirmou Jadson.

Ney Franco resolveu fazer mistério e fechou o último treino antes da partida para treinar jogadas de bola parada e cobranças de pênaltis, mas a equipe não terá nenhuma novidade em campo. Os titulares inclusive foram preservados do jogo contra a Ponte Preta no fim de semana para chegarem fisicamente bem.

O Tricolor também terá casa cheia para empurrar a equipe. São mais de 50 mil ingressos vendidos antecipadamente e a expectativa é que o Morumbi receba mais de 65 mil pessoas e estabeleça o novo recorde de público na temporada que até agora é da partida contra o Náutico na estreia de Ganso (pouco mais de 62 mil torcedores).

Confiança. O técnico Martín Lasarte está confiante de que a Católica fará um papel melhor no Morumbi. Para o uruguaio, o segredo será segurar o ímpeto inicial do adversário para aí sim buscar o jogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.