São Paulo leva susto, mas vira

Equipe do Morumbi só acordou depois do gol da Lusa, fez 3 a 1 com facilidade e está entre os cinco primeiros

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

28 de julho de 2008 | 00h00

Era jogo para vencer, continuar forte na briga pelo título e pela vaga na Taça Libertadores do ano que vem. E o São Paulo conseguiu se manter na luta. Mas suou. De virada, venceu a Portuguesa, no Morumbi, por 3 a 1, para ficar em quinto lugar no Brasileiro, com 26 pontos. Ouça os gols do jogo via Eldorado/ESPNBuscando alternativas para suprir a ausência de Hernanes, Miranda e Alex Silva, o treinador Muricy Ramalho inovou. Escalou o jovem zagueiro Aislan, de 20 anos, no lugar de Juninho, que havia falhado muito na partida contra o Internacional. No meio, colocou outro garoto, o volante Jean, 22 anos. Joílson jogou na meia, enquanto Jorge Wagner foi recuado para a lateral-esquerda. Começou com Aloísio, atacante de referência, na vaga do rápido Éder Luís. Sem ter treinado a formação durante a semana, o time demorou para engrenar. A primeira chance clara de marcar apareceu só aos 28 minutos, com Hugo, de cabeça. Sérgio defendeu. Primeira e única oportunidade no primeiro tempo. "Faltou movimentação, não conseguimos chegar à frente", reconheceu Jorge Wagner no intervalo. O time se ressentiu da dificuldade de chegada ao ataque do ala convertido em lateral-esquerdo e principal garçom da equipe - cinco assistências no Campeonato Brasileiro e 15 na temporada . A Portuguesa se aproveitou da apatia são-paulina logo a três minutos do segundo tempo. O ex-santista Jonas fez um cruzamento da direita, a bola ainda quicou uma vez na pequena área de Rogério Ceni sem que ninguém conseguisse afastar até que Edno aproveitou, de cabeça e anotou: 1 a 0.O gol acordou o São Paulo, que resolveu buscar o ataque com mais força. Muricy colocou Éder Luís aberto na ponta esquerda e Dagoberto na direita. Aos 16 minutos, o ex-jogador do Atlético-PR fez um cruzamento e encontrou Hugo no centro da área. Gol de cabeça, o do empate.O jogo ganhou muito em movimentação. Ambos os times se alternavam no ataque. Até que o São Paulo chegou ao segundo gol aos 25 minutos. Hugo entrou na área trombando, foi desarmado, mas a bola sobrou para Dagoberto, que não perdoou: 2 a 1 - terceiro gol do atacante nos últimos quatro jogos. Ainda deu tempo para Éder Luís marcar o seu, num chute de fora da área, também depois de jogada de Dagoberto. E a torcida são-paulina, enfim, respirou aliviada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.