JF Diório/AE
JF Diório/AE

São Paulo na torcida para ter logo Luis Fabiano e Fabrício

Em fase final de recuperação, ambos são a esperança para o time reencontrar seu rumo após derrota de domingo, contra o Corinthians

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2012 | 03h09

SÃO PAULO - A aposta do São Paulo para dar a volta por cima após perder o clássico para o Corinthians passa pelo departamento médico. A perspectiva de ter Luis Fabiano e Fabrício, ambos em fase final de recuperação, é a esperança de que o time volte a contar com líderes em campo. E o retorno de Piris, ainda não confirmado, se tornou imprescindível - o técnico Emerson Leão perdeu até suas opções de improviso na lateral-direita.

Ontem, Luis Fabiano voltou a fazer trabalhos leves com bola, e deve repetir a atividade hoje. Já Fabrício está mais adiantado em sua recuperação, mas os dois estão praticamente fora da partida contra o Paulista, quinta-feira, no Morumbi.

Piris, que chegou a ser relacionado para o clássico do último domingo, mas acabou vetado após fazer um teste. Nesta semana, ele será reexaminado para ver se terá condições de entrar em campo contra o Paulista.

Caso ele fique de fora, Leão terá de pensar em modificar radicalmente o esquema tático do time. O zagueiro João Felipe, primeira opção de improviso, foi expulso e está fora da partida. A segunda alternativa para adaptação é o volante Wellington, que levou o terceiro cartão amarelo no jogo do Pacaembu e também cumprirá suspensão.

A solução pode ser o uso de três zagueiros, com Rhodolfo caíndo pela direita. Leão, que é contrário a este tipo de esquema, já teve de utilizar a formação no fim do ano passado, pouco depois de sua chegada ao Morumbi, também por conta da escassez de reservas. Com isso, Edson Silva deve ganhar a vaga como terceiro homem da defesa.

O Paulista, rival de quinta-feira, tem 13 pontos e é concorrente direto na tabela - em 5.º, está apenas um ponto atrás do Tricolor (4.º). O time é treinado por Sérgio Baresi, ex-técnico das categorias de base do São Paulo. Liberado pelo presidente Juvenal Juvêncio, Baresi ainda tem contrato com o clube do Morumbi.

Sem bronca. O elenco são-paulino se reapresentou ontem à tarde no CT e negou qualquer conversa mais séria com Leão após a derrota no clássico. "Não teve um tom mais alto. A conversa durou apenas dois minutos e ele deu força. Disse que temos de levantar a cabeça", garantiu Cícero, que minimizou o tropeço. "A derrota neste momento pode até servir para nos deixar mais alertas, com os pés no chão."

O meia negou que tenha faltado empenho. "Vi um Corinthians mais encorpado, mas não vejo que faltou vontade nossa."

Um dos poucos destaques da equipe são-paulina no Pacaembu, o goleiro Denis reconheceu que o time atuou abaixo do esperado e falhou, especialmente, na marcação. "Podíamos ter marcado um pouco mais em cima, pois o Corinthians não deixava a gente sair para o jogo."

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolSão PauloCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.