Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

São Paulo não quer mais o volante Denilson e vai devolvê-lo ao Arsenal

Insatisfeito com o rendimento do volante, Juvenal Juvêncio decidiu que não vai comprar seus direitos

Fernando Faro, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2013 | 02h01

SÃO PAULO - Denilson não continuará no São Paulo após o fim do seu empréstimo. O presidente Juvenal Juvêncio está convencido de que não vale a pena gastar dinheiro para contratá-lo em definitivo e avisou aos diretores para não tentarem um novo acordo com o Arsenal. Oficialmente, no entanto, a diretoria continuará dizendo que tratará o assunto na hora adequada - e deixará o vínculo expirar naturalmente em 30 de junho. A decisão de Juvenal foi comunicada ao vice de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, e ao diretor de futebol, Adalberto Baptista, que não se opuseram ao presidente.

O desfecho marca uma reviravolta. Logo após a conquista da Copa Sul-Americana, a diretoria falava abertamente que iria contratar o volante em definitivo. Denilson se mostrou um dos principais nomes da conquista.

O problema é que Denilson começou 2013 jogando muito menos do que no ano passado e passou a gerar desconfiança dos dirigentes, que enxergaram acomodação e falta de comprometimento. Quando mudaram o tom e passaram a dizer que era cedo para falar da negociação, tentaram dar um "choque" no jogador, mas o efeito não foi o esperado. A avaliação é que Denilson já acreditava que tinha a situação resolvida e diminuiu o ritmo.

Não foram só o desempenho abaixo das expectativas e o fato de ter de desembolsar cerca de 3 milhões (R$ 7,7 milhões) que fizeram Juvenal mudar de ideia. O presidente acredita que o clube está bem servido na posição e não precisa gastar dinheiro com um jogador caro. Além de Fabrício, recuperado de várias lesões, o presidente aposta suas fichas em Rodrigo Caio, que cresceu de produção nos últimos jogos, e até mesmo em Casemiro, atualmente emprestado ao Real Madrid Castilla (time B do Real). Juvenal inclusive acredita que a performance de Denilson em 2o12 foi fruto principalmente do talento de Wellington, cujo retorno ao time coincidiu com a arrancada na temporada.

Denilson já manifestou o seu desejo de continuar no Morumbi, mas atualmente evita falar sobre o assunto. Ele ainda não foi notificado da decisão, mas recuou nas declarações por já ter entendido que não faz mais parte dos planos.

Formado no próprio Morumbi e vendido ao Arsenal em 2006 por cerca de R$10 milhões, Denilson voltou por empréstimo em 2011 e teve o vínculo renovado em 2012. Tecnicamente, ele passa por uma fase inconstante e tem frequentado a reserva. Recentemente fez um gol contra grotesco contra o São Bernardo e se envolveu em polêmica ao xingar um torcedor em uma rede social - fatos que ajudaram a diretoria a tomar a decisão de não contar mais com ele a partir do segundo semestre.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCfutebolDenilson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.