São Paulo pega o Avaí já de olho no Inter

A seis pontos do líder, time reestreia na competição no Morumbi. Só que não consegue esquecer a Libertadores

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2010 | 00h00

O São Paulo retorna ao gramado do Morumbi após 37 dias, período que separa a vitória por 3 a 1 contra o Grêmio, em 6 de junho, e o duelo de hoje contra o Avaí. Engana-se, porém, quem imagina que a ansiedade pelo retorno das atividades acabou. O Campeonato Brasileiro recomeça, é verdade, mas o time tricolor não consegue deixar de mirar o dia 28, data em que enfrenta o Inter na primeira partida semifinal da Taça Libertadores.

Enquanto o duelo do Beira-Rio não vem, serão quatro partidas pelo torneio nacional. Nesta noite, a partir das 19h30, começa uma sequência que ainda terá Vitória (sábado, no Barradão), Grêmio Prudente (quarta-feira, em casa) e o clássico contra o Santos, domingo, na Vila Belmiro. Tempo suficiente para marcar pontos, claro. Mas especialmente importante para azeitar a máquina são-paulina de olho no jogo de Porto Alegre.

"Fizemos uma boa preparação neste período da Copa, aproveitamos o tempo livre para fazer correções e aprimorar a parte tática", garantiu o técnico Ricardo Gomes. "Agora é pontuar no Campeonato Brasileiro e disputar a semifinal da Libertadores, o nosso principal objetivo."

O São Paulo entra em campo em 6.º lugar, com 11 pontos conquistados em sete jogos. Venceu três, empatou dois e perdeu outros dois. "Estamos a apenas seis pontos do líder e, por isso, vamos buscar vitórias para não criar uma distância maior", admitiu o zagueiro Miranda. "Mas é claro que não dá para não pensar no dia 28. Os próximos quatro jogos serão importantes como preparação para a semifinal da Libertadores."

Miranda, que pode ser negociado com o futebol europeu assim que a janela de transferências for aberta (3 de agosto), atuará agora pelo lado direito, umas das principais mudanças de posicionamento treinadas por Ricardo Gomes durante a Copa. Será responsável por reforçar a marcação no setor, que volta a ter Jean, já que Cicinho retornou para a Roma. "Perdemos o Cicinho mas o Jean está bem tecnicamente. Como ala, ele tem todas as chances de se dar bem", garantiu o técnico.

Parada proveitosa. Miranda, aliás, foi um dos jogadores que se beneficiou com o recesso da Copa do Mundo ? foram dez dias de descanso e 27 de trabalho, com quatro jogos disputados. O zagueiro sofreu problemas musculares mas já está recuperado. O técnico Ricardo Gomes, portanto, não terá problemas para escalar a equipe, já que todos os seus titulares estão à disposição. "Estamos mais fortes", garantiu o treinador, que tem apenas dois atletas no departamento médico: o volante Wellington e o lateral Thiago Carleto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.