São Paulo perde força em casa

Time de Leão começa arrasador com um gol de Willian José, o seu 4º no Estadual, e depois cede empate ao Comercial

BRUNO DEIRO, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2012 | 03h07

Era para ser uma goleada vibrante antes de encarar o Corinthians, mas o São Paulo conseguiu se complicar em casa ontem no 1 a 1 com o Comercial. O Tricolor saiu na frente, mas levou o empate em uma falha infantil da zaga e não conseguiu reagir. Perdeu, assim, a chance de chegar ao clássico de domingo na condição de líder isolado do Paulista.

O técnico Emerson Leão escalou um time ofensivo no primeiro tempo e tomou conta do meio-campo. Após o intervalo, porém, tirou dois meias ofensivos (Jadson e Maicon) para a entrada do atacante Osvaldo e do volante Denilson. Sem a mesma posse de bola, o time não teve força para reagir.

O resultado, no entanto, não foi justo por conta das chances perdidas pelo Tricolor e pela boa exibição de Lucas. Em noite inspirada, o garoto liderou o ataque e fez a torcida vibrar em vários lances. Mas faltou o gol.

A intenção de Leão era tirar algumas dúvidas. Com muitas opções no meio, em contraste com a escassez em outras posições, o treinador botou os meias em campo para ver quem está melhor. E a partida mostrou que Casemiro, Cícero e Jadson estão à frente de Maicon, que abusou dos erros de passe.

O jogo também deixou evidente que João Filipe, pelo menos como ala que chega à linha de fundo, não convence. As subidas ao ataque do desengonçado zagueiro de 1,90m pela direita arrancavam risos da torcida. Empolgado, ele até arriscou um chute no vácuo, para delírio da torcida. Mas numa partida tensa como um clássico, é possível que os torcedores não tenham a mesma paciência. A atuação fez aumentar a preocupação de que Piris, que tenta se recuperar de um edema na coxa esquerda, não volte a tempo para o clássico.

Pela esquerda, Cortez tampouco enche os olhos. Deficiente no apoio ofensivo, o lateral errou passes simples e só não sofreu com os contra-ataques por causa da falta de qualidade do rival.

Perda de posse. O São Paulo começou no ataque e, aos 5 minutos, Willian José abriu o placar. Mais do que o quarto gol em três jogos como titular, o substituto de Luis Fabiano mostrou categoria de artilheiro para abrir o placar. Após lindo lançamento de Cícero, dominou no peito, ganhou dos zagueiros na corrida e tirou do goleiro. O camisa 19 fez um gol típico de camisa 9.

O gol diminuiu i ímpeto do time, que manteve a posse de bola. Após intervalo, Leão promoveu a entrada de Osvaldo, que correu bastante, mas ainda mostrou falta de ritmo na estreia. Teve uma chance clara, mas bateu fraco e a zaga cortou.

Com 57 segundos na etapa final, Paulo Miranda deixou a bola para Denis e Jaílton foi mais esperto, antecipando-se ao goleiro são-paulino. A zaga, que até então não tinha sido exigida, falhou feio. Até o fim, Lucas foi o único que tentou algo diferente, mas o placar seguiu inalterado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.