São Paulo promete mudanças ao COB

A construção de cinco parques olímpicos, a recuperação de rios, lagos e represas e a ampliação do sistema de transporte são os pontos que chamam atenção no dossiê da candidatura de São Paulo à sede dos Jogos Olímpicos de 2012, que será entregue ao presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, no dia 14, às 14 horas, em uma sessão pública no Sesc/Pompéia.As cidades de Barcelona (ESP) e Munique (ALE) anteciparam em 8 anos a realização dos seus planos diretores quando realizaram Olimpíadas. É nisso que São Paulo aposta - a Prefeitura tem 13% de seu orçamento comprometido por dívidas e os Jogos significariam entrada de recursos, vindos, inclusive, do exterior.A prefeita Marta Suplicy reuniu-se, nesta quarta-feira, com integrantes do Conselho de Postulação à Sede dos Jogos Olímpicos de 2012, para mostrar o projeto técnico que será protocolado no COB, mediante o pagamento da taxa de R$ 200 mil. O Rio também é candidato.A dimensão dos Jogos expõe os desafios para os candidatos, considerada a Olimpíada de Sydney, em 2000 - 10,5 mil atletas e 6 mil oficiais de 199 países, 23 mil profissionais de mídia, 500 mil assistentes, sendo 250 mil turistas, e mais 50 mil voluntários.Cidade Olímpica - Um dos maiores problemas foi definir a localização dos Jogos. A proposta é criar a Cidade Olímpica ao longo dos rios da cidade, do Parque Ecológico do Tietê à região da Represa de Guarapiranga, um corredor com cinco núcleos esportivos - Anhembi, USP/Villa Lobos, Guarapiranga, Ibirapuera e Água Branca, onde seria construída a Vila Olímpica, imóveis para serem comercializados.A circulação de público de 500 mil pessoas pelo circuito olímpico é desafio que exige investimentos em transporte de massa sobre trilhos. Além da rede existente, São Paulo propõe construir duas linhas de metrô (a 8, Raposo Tavares-Lapa-Tietê-Vila Guilherme e a 4, Morumbi-Luz), com 25 estações, e ampliar outras duas (a 2, Cerro Corá-Ana Rosa e a 5, Capão Redondo, no trecho Largo 13-Chácara Klabin).O sistema ainda prevê o trem metropolitano interligado a linhas da CPTM e estações do metrô. O acesso ao Aeroporto de Cumbica (que ganharia o 3º terminal de passageiros) seria por trem, a partir da Barra Funda. Vans, ônibus e carros (8,5 mil veículos) seriam destinados à Família Olímpica (credenciados) por vias expressas reservadas. Na questão do meio ambiente o desafio é a recuperação dos Rios Pinheiros e Tietê e da Represa de Guarapiranga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.