São Paulo (quase) pronta para a Indy

Pista do circuito do Anhembi passa por reforma ampla e prova de domingo deve receber 50 mil torcedores

Milton Pazzi Jr., O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2011 | 00h00

A pista foi renovada, para evitar os problemas do ano passado, quando os carros tiveram problemas com o piso escorregadio, principalmente no trecho do Sambódromo. A época da prova também mudou, para tentar fugir das águas de março. No próximo domingo, 1.º de maio, a F-Indy corre pela segunda vez nas ruas de São Paulo - será a quarta etapa da temporada -, com cinco brasileiros na pista e a expectativa de 50 mil torcedores no Circuito do Anhembi.

O circuito, de 11 curvas e 4.180 metros, está recebendo atenção especial. Nos trechos considerados mais críticos, os de freadas intensas - após as retas de Marte (no final da avenida Olavo Fontoura) e dos Bandeirantes (final da Marginal do Tietê e entrada do sambódromo), o asfalto foi refeito. As arquibancadas estão na fase final de montagem e a pista está recebendo sinalização e as telas de proteção.

Trazer a Indy novamente para São Paulo tem um custo estimado em pelo menos R$ 18 milhões - incluindo a verba que foi remanejada para o recapeamento das ruas e a montagem de toda a estrutura como grades de proteção e guardrails. Mas a SPTuris, empresa municipal responsável pela promoção do GP, calcula que a corrida movimente mais do que os R$ 80 milhões registrado na edição passada.

"O retorno do investimento que São Paulo fez na Indy foi muito positivo"", considera Caio Luiz de Carvalho, presidente da SPTuris. "O tripé eventos, negócios e agenda cultural é o forte de São Paulo e continuaremos investindo nisso."" A cidade tem garantida a Indy até 2019.

Ainda há ingressos à venda para todos os 13 setores, a preços que variam de R$ 180 (Indy Area) a R$ 600 (setores K e L). Os setores K e L, assim como o B (ingresso a R$ 250), são os destinados aos portadores de necessidades especiais. Ficam na área do sambódromo, que dão boa visão da reta onde acontecerá a largada e da pista da marginal, onde os carros passam dos 300 km/h. Os bilhetes estão à venda no site www.livepass.com.br, ou pelo telefone (11) 4003-1527.

A "Indy Área", local com os ingressos mais baratos, é a novidade desta edição. É setor de circulação térrea, sem arquibancada - como uma "geral" -, que fica no trecho mais lento da pista (na saída dos boxes, ao lado do Pavilhão de Exposições).

Transporte público. A melhor alternativa para ir ao circuito é o transporte público, já que várias ruas da região estarão interditadas, especialmente a partir da madrugada de sexta-feira para sábado (0h30), quando até a pista local da Marginal do Tietê (sentido Cebolão) será fechada. Este bloqueio vai até às 5 horas de segunda-feira, 2 de maio.

Os ônibus partirão do Aeroporto de Congonhas e dos terminais do Metrô Tietê e Barra Funda. Além disso, existirão dois bolsões de táxi, na rua Anita Malfatti e na praça Campo de Bagatelle.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.