Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

São Paulo reencontra a vitória

Depois de três empates, time derrota o Flamengo no Morumbi por 2 a 0 e volta a se aproximar do G-4

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

15 de setembro de 2008 | 00h00

As cobranças do técnico Muricy Ramalho finalmente surtiram o efeito esperado e o São Paulo, após três empates consecutivos pelo Campeonato Brasileiro, voltou a vencer. Não só derrotou o Flamengo, por 2 a 0, no Morumbi, um adversário direto na briga pelo G-4, mas retomou também a confiança. Agora 5º colocado (42 pontos), viu a diferença para o líder Grêmio diminuir para sete pontos. A esperança no hexacampeonato nacional renasceu. Ouça os gols no Território Eldorado O São Paulo não sabia o que era vencer havia quase um mês. Foi no Morumbi que, em 20 de agosto, derrotou o Atlético-PR por 3 a 1, na 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Desde então, foram quatro jogos: três empates pelo torneio nacional - contra Coritiba (2 a 2), Santos (0 a 0) e Atlético-MG (1 a 1) - e outro diante do Atlético-PR (0 a 0), que, após a derrota na cobranças dos pênaltis, significou a eliminação na primeira fase da Copa Sul-Americana.A campanha irregular e a 6ª posição ocupada antes do jogo, distante três pontos do G-4, fez o clima esquentar. Integrantes da principal torcida organizada do clube protestavam: com gritos de guerra, atacavam a administração do presidente Juvenal Juvêncio, exigiam a contratação de reforços e pediam a saída de Richarlyson (que ficou no banco) e Jorge Wágner. Algo que parecia impensável para um time que desde 2005 tem conquistado títulos.Mas, como em poucas vezes neste torneio, o São Paulo conseguiu calar seus críticos. Aqueceu a fria tarde paulistana e alegrou os quase 24 mil são-paulinos que, mesmo desconfiados, compareceram à partida, ante pouco mais de 5 mil flamenguistas que acompanharam o jogo.Desde a última apresentação, contra o Atlético-MG, foram dez dias de trabalho, broncas de Muricy Ramalho e cobrança entre os jogadores. E, ao contrário da displicência apresentada no Mineirão, quando um gol no finalzinho tirou os três pontos do São Paulo, ontem não houve um momento em que a equipe tricolor não buscasse o gol adversário. Uma mudança de atitude visível, comparável a do time que nos dois últimos anos foi campeão nacional. E referendada pelo técnico Muricy Ramalho. "Não temos um destaque individual. Nosso time só funciona quando todos se juntam, quando o conjunto fica forte. Foi assim que vencemos em 2006 e 2007."Ajudou, claro, a disposição do Flamengo em buscar o resultado, além da escalação do árbitro gaúcho Leandro Vuaden, que marca poucas faltas e deixa a partida correr. Um jogo de boas oportunidades e bola rolando fácil.O time carioca, antes na 5ª posição, começou melhor. Mas, em partida impecável, o atacante Dagoberto - que entrou em campo substituindo Borges, machucado - fez a diferença. Voltando para buscar bolas e tentando chutar a gol, foi premiado aos 44 minutos. Em um lance de muita insistência, após cruzamento de Zé Luís e furada de André Lima dentro da área, Dagoberto praticamente dividiu com o goleiro Bruno e conseguiu marcar. Na segunda etapa, domínio paulista. O Flamengo perdeu-se em campo e na marcação. Dagoberto aproveitava: roubou uma bola no meio-campo e Hugo fez seu 10º gol no Brasileiro aos 14 minutos.A vitória marcou a mudança de comportamento de jogadores e, principalmente, da torcida. Os gritos que ecoavam antes do jogo também ganharam outro tom: eram de protesto, mas viraram felizes ?olés?.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.