São Paulo repete dupla ofensiva no beira-rio

Tudo o que o São Paulo deseja é uma sequência de vitórias para engrenar no Brasileiro. Porém, o desejo está longe de ser uma realidade nesta temporada. A equipe não vence dois jogos seguidos há 20 partidas, desde quando bateu o Palmeiras (1 a 0, no dia 28 de março) e o Guaratinguetá (2 a 1, em 2 de abril) ainda pelo Campeonato Paulista. O adversário hoje, às 21h50, é o respeitável Internacional, que, apesar da terceira colocação na tabela, está em crise depois de perder os títulos da Copa do Brasil e da Recopa e o Gre-Nal (2 a 1) do último domingo.O jogo é no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, o que lembra os jogadores de outro jejum: o time não ganha fora de casa desde 25 de março, quando bateu o Noroeste (2 a 1), em Bauru, também pelo Estadual. O retrospecto ruim da temporada dá uma noção da dimensão do desafio que os são-paulinos terão pela frente nesta noite."Já passou do tempo de começarmos a vencer fora de casa", afirma o goleiro Bosco, que voltou a ser titular na última partida. "O São Paulo sempre esteve acostumado a brigar pelas primeiras posições. Quando conseguimos ter uma sequência de vitórias ganhamos tranquilidade e começamos a pensar grande."Ricardo Gomes vai manter Washington no ataque. Não confirma que Borges ficará no banco de reservas, mas essa parece ser a tendência, já que Dagoberto será mantido no time e jogar com os três atacantes é considerado ousadia demais pelo técnico. "Não vou tirar um atacante (Washington) que fez dois gols no último jogo", explica o técnico. Se Borges ficar no banco, deverá acatar a decisão sem criar tumulto, como fazia com Muricy Ramalho. "Não espero compreensão, mas também não quero reclamação."Tite está pressionado no comando do Inter. Se perder, com todo o time titular à disposição, pode cair.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.