São Paulo segue no encalço do líder

Time goleia o Noroeste por 4 a 1, em Bauru, e fica a apenas 1 ponto do Palmeiras. De pênalti,[br]Ceni marca seu 101º gol

Sérgio Martins, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

O objetivo do São Paulo ontem contra o Noroeste era conquistar a vitória para assegurar ao menos a vice-liderança e ter, assim, a vantagem de jogar em casa pelo menos até as semifinais do Campeonato Paulista. Conseguiu - e com folga. Com gols de Rogério Ceni, Marlos, Dagoberto e Ilsinho, venceu por 4 a 1 e passou a somar 40 pontos, apenas um a menos que o líder Palmeiras.

Não foi uma tarefa fácil, porém. Primeiro por causa do forte calor em Bauru, que exigiu muito dos atletas. Além disso, o time são-paulino entrou em campo bastante modificado, sem Lucas (suspenso), Juan (poupado) e Fernandinho, Alex Silva e Miranda (machucados).

O Noroeste estava disposto a lutar para não entrar na zona de rebaixamento. Mas foi o São Paulo que procurou dominar a partida desde o início, sempre em busca do gol. Com isso, as oportunidades foram surgindo naturalmente. Casemiro (que acertou o travessão), Dagoberto e Jean estiveram perto de marcar, numa mostra da superioridade do time da capital.

O que interessava, porém, era o gol. Mas o São Paulo carecia de tranquilidade e pontaria para transformar a superioridade em campo em vantagem do placar. Até que surgiu um pênalti, que de fato existiu, para o time de Carpegiani: Júnior Cesar invadiu em velocidade a área do Noroeste e foi empurrado por trás por Márcio Gabriel. Pênalti. Rogério Ceni cobrou e marcou o 101.º gol da carreira e o sexto no Campeonato Paulista.

O suspenso Lucas, que acompanhava o jogo pela TV em casa, vibrou. "Boaaaa RC - 101 gols. O maior goleiro-artilheiro do mundo!", escreveu o atacante em seu Twitter logo após o goleiro ter marcado em Bauru.

Para o gol, além de o pênalti ser uma jogada quase sempre fatal, contribuiu a seriedade de Rogério Ceni. Ontem, ele não quis inventar, como havia feito no jogo com o Santa Cruz, na quarta-feira, pela Copa do Brasil. Na ocasião foi displicente, bateu com "cavadinha"", pegou mal na bola e permitiu a defesa do goleiro. Em Bauru, preferiu cobrar de maneira segura.

Na segunda etapa, o calor diminuiu e o Noroeste pôde jogar com passes longos, tentando surpreender a defesa são-paulina. Ficou no desejo e ainda acabou goleado.

O São Paulo fez 2 a 0 quando Casemiro encontrou Marlos no meio da área. O meia apenas tocou no canto esquerdo. Tranquila e sem correr riscos, a equipe se postou para jogar no contra-ataque. E a tática surtiu efeito aos 31, quando Marlos bateu seu marcador na corrida e passou para Dagoberto, no lado oposto. O atacante só ajeitou a bola e soltou a bomba para fazer 3 a 0.

No minuto seguinte, o Noroeste respondeu com um belo gol de Aleílson. O placar parecia estar do tamanho correto para o que os dois times fizeram ao longo da partida. Porém, aos 45, Ilsinho ainda fez o seu e deu os números finais à goleada: 4 a 1.

O atacante Dagoberto ainda acredita na possibilidade de o São Paulo terminar a fase na frente do Palmeiras, embora dependa de um tropeço do rival na última rodada. "Estamos fazendo a nossa parte e agora vamos esperar o que vai acontecer.""

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.