Paulo Fonseca/Efe
Paulo Fonseca/Efe

São Paulo tem como meta buscar a reabilitação em casa na Libertadores

Equipe vai fazer as duas próximas partidas no Morumbi e sabe que não poderá desperdiçar pontos

Fernando Faro, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2013 | 02h04

SÃO PAULO - O clima entre os são-paulinos após a derrota era um misto de tristeza pelas falhas que custaram o resultado e o otimismo para as próximas rodadas. O time faz dois jogos seguidos em casa: no dia 28 recebe o The Strongest e uma semana depois encara o Arsenal de Sarandi.

Apesar do primeiro tempo muito ruim, os jogadores ressaltaram a superação na etapa complementar e lamentaram as oportunidades desperdiçadas. "Procuramos de todas as formas a vitória. Infelizmente não saiu, mas vamos trabalhar para conseguir uma sorte melhor no próximo jogo. O segundo tempo não foi tão ruim, tomamos o gol na desatenção, mas o grupo é bom e competente", afirmou Aloísio, que sequer comemorou seu primeiro gol na Libertadores. "Não valeu. Queria ter saído com a vitória e trocaria o gol pelos três pontos."

A equipe também se rendeu ao talento de Ronaldinho Gaúcho, que deu as assistências para os dois gols e se consagrou como grande protagonista do duelo. "O Ronaldinho aproveitou nossa bobeada (no primeiro gol) e ainda fez a jogada do segundo", analisou Cortez.

'Burocráticos'

Rogério Ceni saiu visivelmente contrariado com o desempenho da equipe, especialmente no primeiro tempo. O goleiro deixou claro que esperava mais vibração dos companheiros e alertou para a necessidade de fazer os próximos seis pontos. "Fomos burocráticos no jogo, mas não foi ruim de todo, tivemos algumas oportunidades no segundo tempo que não soubemos aproveitar. Vamos nos concentrar para ganhar os próximos jogos e voltar para a competição. Temos uma partida muito importante agora."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.