São Paulo tem vida fácil no retorno ao Morumbi

Após 45 dias sem jogar em seu estádio, time fez o suficiente para bater o Goiás e assegurar a vaga. Agora, pega o Avaí

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2011 | 00h00

Após 45 dias longe do Morumbi, o reencontro do São Paulo com sua casa não foi dos mais empolgantes. Jogando apenas para o gasto, o Tricolor confirmou ontem a classificação às quartas de final com a vitória por 1 a 0 sobre o Goiás. O estádio, porém, estava cheio (mais de 32 mil) e o gramado, ainda irregular, deu uma ajuda: no tropeço de um defensor rival, Carlinhos Paraíba roubou a bola e tocou para Dagoberto marcar o gol da vitória. Na próxima fase, o rival será o Avaí.

Mesmo após ser poupado no jogo com a Portuguesa, realizado em Barueri, o gramado do Morumbi ainda não estava totalmente recuperado - o estádio recebeu três shows da banda irlandesa U2. "O campo estava bastante pesado", reconheceu Dagoberto, que fez seu quarto gol na competição ainda na etapa inicial. O São Paulo tratou de diminuir o ritmo para evitar desgaste antes do clássico com o Santos, no sábado, pelas semifinais do Campeonato Paulista. "A gente procurou trabalhar a bola e é normal tirar o pé, mas a equipe está firme e forte. Chega num clássico destes a equipe se renova", garantiu o atacante.

Com a vitória de ontem, o São Paulo vingou a eliminação de oito anos atrás para o próprio Goiás, na última vez em que disputou a Copa do Brasil. No mesmo Morumbi, o time goiano avançou naquela ocasião com empate por 1 a 1 - o gol do Tricolor foi marcado por Luis Fabiano, que deve fazer sua reestreia pelo clube na próxima fase.

Tranquilidade. O São Paulo imprimiu ritmo forte no início da partida e empurrou o Goiás para o campo defensivo. Ganhou ainda mais ímpeto com a contusão de Harlei, que teve grande atuação no jogo em Goiânia. Logo aos 8 minutos, o goleiro teve de deixar o campo após se machucar sozinho em uma saída atrapalhada do gol.

No ataque, o time de Carpegiani não demorou a abrir o placar. Aos 19, Zé Antônio tropeçou e Carlinhos Paraíba roubou a bola. Acionado na direita, Dagoberto chutou com precisão no canto para abrir o placar. "Tive uma chance e fui feliz, tem de aproveitar", comemorou o atacante.

O gol deu tranquilidade ao São Paulo, que passou a administrar o placar. A torcida, porém, não gostou do futebol defensivo e ensaiou vaias após o intervalo.

O Goiás ganhou confiança, arriscou subidas ao ataque e por pouco não chegou ao empate. Carpegiani tirou do banco Rivaldo e Fernandão, que voltou ao time após longo tempo por contusão no púbis, mas o atacante pouco produziu. No fim, o time valorizou a boa defesa, que completou o terceiro jogo sem sofrer gol. E projetou que isso possa fazer a diferença no clássico. "O time que tiver a defesa que falhar menos vai sair vencedor", profetizou Alex Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.