São Paulo torce pelo ''sim'' e espera levar até R$ 17 mi

O São Paulo acompanha de perto as negociações entre Manchester City e Milan para a venda dos direitos de Kaká. Caso o negócio seja concretizado, o Tricolor faz as contas e calcula que possa receber até 5% dos 100 milhões de libras (R$ 340 milhões de reais) oferecidas pelo time inglês aos italianos. Assim, é possível que a venda de Kaká possa render até R$ 17 milhões ao clube. "Essa é apenas uma impressão, isso ainda está sendo estudado pelo presidente Juvenal Juvêncio e pelo departamento jurídico do clube", explica Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, vice-presidente de Futebol. O repasse do dinheiro ao time paulista se dá por um mecanismo da Fifa que privilegia os clubes formadores. Ao vender os direitos de um jogador, as equipes têm de pagar um porcentual ao clube que revelou o atleta. Em setembro do ano passado, o Santos lucrou em cima do Real Madrid com essa regra. Na venda de Robinho para o Manchester City, o time espanhol recebeu 40 milhões (R$ 96 milhões) dos ingleses e teve de pagar cerca de R$ 4,5 milhões ao clube da Vila Belmiro. Em julho, o Grêmio já havia ganho 4% - em torno de 850 mil (R$ 2,6 milhões) - dos 21 milhões recebidos pelo Barcelona na venda de Ronaldinho Gaúcho ao Milan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.